Segurança Nacional

Congresso vai analisar plano e estratégia nacional de defesa

02:19Congresso vai analisar plano e estratégia nacional de defesa

Transcrição LOC: CONGRESSO JÁ PODE ANALISAR PLANO E ESTRETÉGIA NACIONAL DE DEFESA LOC: DOCUMENTO FOI ENVIADO PELO MINISTÉRIO DA DEFESA NO FINAL DE JULHO. REPÓRTER PEDRO PINCER: TÉC: A proposta que atualiza os objetivos, estratégias e informações da defesa brasileira já foi encaminhada ao Congresso Nacional pelo ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, e será relatada pelo senador Nelsinho Trad, do PSD de Mato Grosso do Sul, presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional. O primeiro passo será a análise pela Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência, também comandada por Nelsinho. O colegiado vai examinar três documentos que atualizam, a cada dois anos, a base legal da defesa brasileira: a Política Nacional de Defesa, que estabelece os objetivos nacionais do setor, a Estratégia Nacional de Defesa, que define as estratégias da área e as ações adotadas para executar esses objetivos, e o Livro Branco de Defesa Nacional, que permite o acesso a dados como quantidade de batalhões do Exército, navios da Marina e aviões da Aeronáutica. Nelsinho destaca a extensão territorial e o tamanho da população do pais e diz que é preciso ter uma defesa forte: (Nelsinho Trad) É absolutamente necessário ter um setor de defesa forte e que nos permita garantir a nossa soberania, a proteção das nossas fronteiras e também os nossos patrimônios nacionais, por isso é tão importante esse planejamento, que funciona também como uma prestação de contas à população.. (Rep) O senador aponta o monitoramento das fronteiras como uma das prioridades (Nelsinho Trad) Considero fundamental o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras, o conhecido Sisfron, que utiliza tecnologia de ponta para monitorar e coibir os crimes fronteiriços, além de responder prontamente a qualquer ameaça ou agressão, especialmente nas regiões de fronteira e na região da Amazônia. (REP): No conjunto de documentos enviados ao Congresso, os militares defendem a destinação de 2% do PIB para atender as necessidades de articulação e equipamentos para as Forças Armadas. Atualmente, o investimento está na casa de 1,4% do PIB. A Estratégia Nacional de Defesa listou três setores como estratégicos: o nuclear, o cibernético e o espacial, sendo que a prioridade é elevar a capacitação científica e tecnológica do país e preparar recursos humanos. Da Rádio Senado, Pedro Pincer.

A proposta que atualiza os objetivos, estratégias e informações da defesa brasileira já foi encaminhada ao Congresso Nacional, pelo ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva. O relator será o senador Nelsinho Trad  (PSD-MS), presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional. O primeiro passo será a análise pela Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência. Os detalhes com o repórter Pedro Pincer.

TÓPICOS:
Amazônia  Comissão de Relações Exteriores  Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional  Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência  Congresso Nacional  Defesa Nacional  Forças Armadas  Inteligência  Mato Grosso  Mato Grosso do Sul  Ministério da Defesa  PIB  Política  PSD  Relações Exteriores  Segurança  Senador Nelsinho Trad  Tecnologia 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo