Comissão debate sobre narcotráfico

03:16Comissão debate sobre narcotráfico

LOC: SEGUNDO A POLÍCIA FEDERAL, DOIS TERÇOS DA COCAÍNA QUE ENTRA NO TERRITÓRIO BRASILEIRO VEM DA BOLÍVIA. E A SENADORA KÁTIA ABREU ACUSA O GOVERNO BOLIVIANO DE SER CÚMPLICE DO NARCOTRÁFICO. LOC: O ASSUNTO FOI DISCUTIDO EM AUDIÊNCIA DA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA NESTA TERÇA-FEIRA. A fronteira brasileira com a Bolívia tem aproximadamente 3.400 quilômetros e se estende do Mato Grosso do Sul ao Acre. A região é a principal porta de entrada de cocaína no território brasileiro. Segundo a Organização das Nações Unidas, o Brasil tem um milhão de usuários da droga e é o principal corredor do tráfico internacional. No ano passado, a Polícia Federal apreendeu 24 toneladas de cocaína ¿ desse total, dois terços vieram da Bolívia. Para combater o narcotráfico, o governo investiu na compra de equipamentos, como aviões de vigilância não tripulados, na utilização de imagens de satélites para identificar as áreas de plantio ilícito da folha de coca e no aumento do efetivo de policiais federais e militares nas fronteiras. A estratégia inclui acordos internacionais e uma maior cooperação e articulação com os países vizinhos. Para o diretor da Polícia Federal, Luis Fernando Correa, apesar de a droga ser produzida no exterior, o Brasil tem responsabilidade no combate ao tráfico. (LFC) ¿Passa por este eixo da cooperação, onde são especificados estes compromissos recíprocos entre as duas soberanias de forma a atender com esta visão. Se lá produz aqui consome. E tem esta cadeia produtiva que envolve várias etapas e que o Brasil tem também as suas responsabilidades. (Cardim) As autoridades também destacaram as dificuldades para controlar as fronteiras no país e disseram que os traficantes entram em barcos, aviões, carros, motos, bicicletas e até a pé. Mas destacaram avanços, como a lei do abate, aprovada pelo Congresso Nacional em 2004, que permite a interceptação de aviões não autorizados no território. Em 2009, foram apreendidas cinco aeronaves com armas e uma tonelada e meia de drogas. O senador Romeu Tuma, do PTB de São Paulo, que foi o relator da proposta no Senado, elogiou a iniciativa para combater o crime organizado. (Tuma) ¿E nós tivemos muita dificuldade em que fosse autorizada este tipo de operação, que é importantíssima: a interceptação de aeronaves suspeitas. Então eu acho que ela tem uma grande valia. Inclusive a Aeronáutica colocou uma base aérea de Tucanos só para esta interceptação¿ (Cardim) Já a senadora Kátia Abreu, do Democratas de Tocantins, a autora do pedido para a reunião, disse que o tráfico de cocaína da Bolívia para o Brasil movimenta um bilhão e meio de dólares por ano e acusou o governo boliviano de ser cúmplice do narcotráfico. (Kátia Abreu) ¿Além de estragar a vida dos seus, quer estragar a vida do país vizinho. De 2000 a 2009, o cultivo de coca mais que dobrou na Bolívia. Um aumento de 112 por cento. Portanto, senhor Evo Morales, penso eu e todas aas mães do Brasil, é persona não grata no Brasil, porque ele coloca uma mordaça, coloca uma venda nos sues olhos e não tem o menor interesse em acabar com esse grande negócio¿ (Cardim) O representante do Ministério Público lamentou a tolerância da Justiça brasileira para reprimir e punir o tráfico de drogas e cobrou uma legislação mais severa.

TÓPICOS:
São Paulo  Mato Grosso  Tocantins  Senadora Kátia Abreu  Polícia Federal  PTB  Drogas  Bolívia  Mato Grosso do Sul  Ministério Público  Congresso Nacional  Acre  Justiça  Constituição 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 0 61 2211
Ao vivo