Senadores querem que Aneel explique apagão no Amapá

A Comissão Mista da Covid-19 aprovou um convite para que André Pepitone, diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), esclareça o apagão no Amapá. A falta de energia foi causada por um incêndio em uma subestação de energia em Macapá no dia 3 de novembro, que provocou o desligamento automático da linha de transmissão Laranjal/Macapá e das usinas hidrelétricas de Coaracy Nunes e Ferreira Gomes. A reportagem é de Roberto Fragoso, da Rádio Senado.

11/11/2020, 14h24 - ATUALIZADO EM 12/11/2020, 15h38
Duração de áudio: 02:05
Foto: Pedro França/Agência Senado

Transcrição
LOC: O CONGRESSO APROVOU UM CONVITE PARA O DIRETOR-GERAL DA AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA EXPLICAR O APAGÃO NO AMAPÁ. LOC: SENADORES ACUSAM OMISSÃO E NEGLIGÊNCIA CRIMINOSAS POR PARTE DA ANEEL, QUE SABIA QUE O TRANSFORMADOR RESERVA ESTAVA INOPERANTE HAVIA ONZE MESES. REPÓRTER ROBERTO FRAGOSO. (Repórter) A Comissão Mista que acompanha as medidas de enfrentamento à Covid-19 aprovou um convite para que André Pepitone, diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica, esclareça os fatos que levaram ao apagão no Amapá. A falta de energia foi causada por incêndio em uma subestação de energia em Macapá no dia 3 de novembro, o que provocou o desligamento automático da linha de transmissão Laranjal/Macapá e das usinas hidrelétricas de Coaracy Nunes e Ferreira Gomes. A pane deixou 14 dos 16 municípios do estado sem luz e afetou o abastecimento de água. O senador Esperidião Amin, do PP de Santa Catarina, acusou a agência de negligência por não ter agido, sabendo que um dos transformadores reserva estava parado havia onze meses. (Esperidião Amin) Na semana passada, eu me dirigi a um dos dirigentes da Aneel e disse: isso que está acontecendo lá é uma coisa que tem que ser apurada até o fim, porque eu tinha ouvido que o transformador em backup, quer dizer, o terceiro transformador, estava há seis meses em manutenção, e ele me corrigiu! "Não, não faz seis meses; faz 11 meses que ele está em manutenção". Quer dizer: quando se tem um pneu estepe, um socorro, que está inativo há 11 meses, alguma negligência houve, não é? (Repórter) Randolfe Rodrigues, da Rede Sustentabilidade do Amapá, autor do convite para ouvir o presidente da Aneel, disse que o apagão veio na pior hora para o estado, que enfrenta a segunda onda da pandemia do coronavírus. (Randolfe Rodrigues) O senhor presidente da Aneel não pode falar como se não tivesse nada a ver com isso. O fato dele – dele – ficar um ano sem fiscalizar a ausência de um transformador no parque de distribuição. Não é aceitável, não é compreensível. O que aconteceu aqui é criminoso. Em qualquer outro país democrático, com leis, esse cidadão estaria preso – estaria preso. Está na lei, é claro, a responsabilidade da fiscalização das concessões públicas é do Estado. Não é só entregar para a iniciativa privada, não. (Repórter) O presidente da Aneel deverá prestar os esclarecimentos à Comissão da Covid-19 nesta sexta-feira numa audiência virtual.

Ao vivo
00:0000:00