MP 826

Chega ao Congresso MP que cria cargos para intervenção no Rio de Janeiro

01:45Chega ao Congresso MP que cria cargos para intervenção no Rio de Janeiro

Transcrição LOC: O GOVERNO ENVIOU AO CONGRESSO NACIONAL A MEDIDA PROVISÓRIA QUE CRIA CARGOS E FUNÇÕES PARA O GABINETE DE INTERVENÇÃO FEDERAL NO RIO DE JANEIRO. LOC: AO TODO SERÃO CRIADOS 67 POSTOS DE CONFIANÇA, MAS QUE DEVERÃO SER EXTINTOS ATÉ 30 DE JUNHO DE 2019. MAIS DETALHES COM O REPÓRTER GUSTAVO AZEVEDO. (Repórter) Além do posto de Interventor Federal, ocupado pelo general Braga Neto, a emepê cria 38 cargos para direção e assessorament o e outras 28 funções comissionadas para compor a equipe do gabinete de intervenção na segurança pública do Rio de Janeiro. O impacto orçamentário estimado com a medida ultrapassa os dez milhões de reais. Senador da bancada fluminense, Eduardo Lopes, do PRB, destacou que ações das Forças Armadas estavam sendo prejudicadas sem a formalização dos cargos por meio da emepê. Segundo ele, a iniciativa vai facilitar a liberação de recursos federais ao Rio. (Eduardo Lopes) Por causa dessa falta de nomeação, recursos ainda não tinham chegado ao gabinete. Isso levou ao represamento ou adiamento de 63 ações já planejadas e programadas para a intervenção. Eu tenho dito: segurança é a nossa prioridade. (Repórter) Os militares da ativa que atuarem no gabinete de intervenção na segurança pública terão direito a gratificação de representação, no valor de 2% do salário por dia. No entanto, a emepê estabelece que todos os 67 cargos e funções a serem criados deverão ser extintos até 30 de junho de 2019. Desde fevereiro, as Forças Armadas assumiram o comando das polícias civil e militar no Rio de Janeiro. A Medida Provisória será analisada por uma comissão composta por deputados e senadores. No entanto, ainda não há data para instalação. O prazo de vigência da proposta vai até 10 de junho. MP 826/2018

O Governo Federal enviou ao Congresso Nacional a MP 826/2018, que cria cargos e funções para o Gabinete de Intervenção Federal no Rio de Janeiro. Ao todo são 67 postos de confiança. O senador Eduardo Lopes (PRB-RJ) destacou que ações das Forças Armadas no estado estavam sendo prejudicadas sem a formalização dos cargos. Para ele, a iniciativa vai facilitar a chegada de recursos ao Rio. A reportagem é de Gustavo Azevedo, da Rádio Senado.

TÓPICOS:
Congresso Nacional  Forças Armadas  Medida Provisória  PRB  Rio de Janeiro  Segurança  Segurança Pública  Senador Eduardo Lopes 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11