Projeto

CCJ aprova prisão após condenação em segunda instância

02:06CCJ aprova prisão após condenação em segunda instância

Transcrição LOC: POR 22 VOTOS A 1, A COMISSÃO DE CONSTITUÇÃO E JUSTIÇA APROVOU O PROJETO QUE AUTORIZA A PRISÃO APÓS CONDENAÇÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA. LOC: O TEXTO AINDA PRECISA PASSAR POR UM TURNO SUPLEMENTAR DE VOTAÇÃO, MARCADO PARA ESTA QUARTA-FEIRA. A REPORTAGEM É DE MARCELLA CUNHA (Repórter) O projeto altera o Código de Processo Penal para permitir a prisão por decisão colegiada, como os tribunais de segunda instância. Ao estabelecer a sentença, as cortes poderão determinar a execução provisória da pena. Hoje, é necessário o trânsito em julgado, quando se esgotam todas as possibilidades de recurso. O texto também acaba com o caráter suspensivo da prisão a partir de recursos ao Supremo Tribunal Federal e ao Superior Tribunal de Justiça. Por se tratar de um substitutivo, o projeto será novamente votado nesta quarta-feira pela CCJ. A relatora, senadora Juíza Selma, do Podemos de Mato Grosso, minimizou a decisão da oposição de levar a proposta para análise no Plenário e não enviá-la diretamente para a Câmara dos Deputados. (Juíza Selma) Já estamos negociando para colocar em plenário amanhã à tarde mesmo e já enviar à Câmara o mais rápido possível. Quem sabe o presidente Bolsonaro consegue sancionar ainda neste ano. (Repórter) Já o autor, senador Lasier Martins, do Podemos do Rio Grande do Sul, não acredita na votação do projeto ainda neste ano. (Juíza Selma): Se não der, vamos fazer de tudo para levar para plenário do Senado em fevereiro do ano que vem. E depois vamos para Câmera onde eu estou começando a ser otimista, a me entusiasmar, porque há uma lista correndo lá que acaba de atingir o 200 assinaturas, então estamos a caminho de conseguir também na Câmara onde vai ser mais difícil. (Repórter) A presidente a CCJ, senadora Simone Tebet, do MDB de Mato Grosso do Sul, garantiu que a aprovação do projeto de lei não inviabiliza a análise da PEC da Câmara dos Deputados que também institui a prisão em segunda instância. (Simone Tebet) O melhor texto vai prevalecer. O importante é que ele saia o mais rápido possível e que nós possamos impedir que criminosos reincidentes, nós estamos falando de crime organizado, tráfico de drogas, possam sair para as ruas porque não temos um texto legal. (Repórter) O projeto foi aprovado com 22 votos favoráveis e um voto contrário do senador Rogério Carvalho, do PT de Sergipe. PLS 166 de 2018

A Comissão de Constituição e Justiça aprovou nesta terça-feira (10) o projeto de lei que autoriza a prisão após condenação em segunda instância. Por se tratar de um substitutivo, haverá um turno suplementar de votação nesta quarta-feira (11) na CCJ. A relatora, senadora Juíza Selma (PSL-MT), não acredita que um eventual recurso para apreciação em plenário atrapalhe a tramitação da proposta. Mas o autor, senador Lasier Martins (PODE-RS), não acredita na votação do projeto em plenário neste ano. A reportagem é de Marcella Cunha.

TÓPICOS:
Bolsonaro  Código de Processo Penal  Câmara dos Deputados  CCJ  Drogas  Justiça  Mato Grosso  Mato Grosso do Sul  MDB  Oposição  Plenário do Senado  Podemos  PT  Rio Grande do Sul  Senador Lasier Martins  Senador Rogério Carvalho  Senadora Simone Tebet  Sergipe  Superior Tribunal de Justiça  Supremo Tribunal Federal  Trânsito  Constituição  PSL 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo