Proposta

CAE pode votar em 2020 retomada da cobrança de IR sobre lucros e dividendos

02:23CAE pode votar em 2020 retomada da cobrança de IR sobre lucros e dividendos

Transcrição LOC: A COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS PODE VOTAR NESTE ANO A RETOMADA DA COBRANÇA DE IMPOSTO DE RENDA SOBRE LUCROS E DIVIDENDOS DISTRIBUÍDOS POR EMPRESAS. LOC: PROPOSTA JÁ FOI DEBATIDA EM AUDIÊNCIA PÚBLICA E ESTÁ AGUARDANDO NOVAS RECOMENDAÇÕES DO RELATOR. REPÓRTER BRUNO LOURENÇO. (Repórter) Representantes do comércio, indústria e bancos pediram cautela aos senadores na hora de analisar a tributação na distribuição de lucros e dividendos. Eles destacaram que a isenção dada a partir de 96 foi pensada para evitar a dupla tributação: da pessoa jurídica e da pessoa física. Os debatedores admitiram que o Brasil deve buscar um caminho mais alinhado às práticas da OCDE, Organização para a Cooperação e Desenvolvimento, de tributar mais a renda e menos os bens e serviços. Mas que deve ser algo bem pensado, para não aumentar a carga tributária. Mauro Silva, da Associação Nacional dos Auditores Fiscais diz que o projeto de tributar a distribuição de lucros e dividendos tem um potencial de arrecadação de 50 bilhões de reais. Esse incremento poderia ser compensado com a redução das alíquotas no PIS e COFINS. (Mauro Silva) O projeto, então, tem méritos, porque caminha no sentido de tributar mais a renda, mas, para manter a nossa premissa de não aumentar carga tributária, teremos que associar uma redução similar a essa, o que pode ser feito nesse projeto. Essas alíquotas são definidas em lei ordinária. Simplesmente nesse mesmo projeto pode ser feito esse ajuste. (Repórter) O autor do projeto de lei, senador Otto Alencar, do PSD da Bahia, diz que a proposta quer diminuir a chamada pejotização, em que pessoas são contratadas como empresas para pagar menos imposto. Otto diz ainda que é difícil explicar à sociedade determinadas situações. (Otto Alencar) Por exemplo, o último lucro no trimestre do Banco Itaú foi de R$7,2 bilhões; ele distribui dividendos para os seus acionistas e não pode ser tributado. E, agora mesmo, o Governo quer cobrar INSS do seguro-desemprego! (Repórter) O relator da proposta é o senador Jorge Kajuru, do Cidadania de Goiás. Antes da audiência pública ele já havia aceitado algumas sugestões de mudanças no projeto de lei, como a de excluir os profissionais liberais da cobrança. Após o debate outras duas emendas foram apresentadas para retirar as empresas com faturamento dentro do limite do Simples da tributação na distribuição de lucros e dividendos. PL 2015/2019

A Comissão de Assuntos Econômicos pode votar neste ano a retomada da cobrança de Imposto de Renda sobre lucros e dividendos distribuídos por empresas (PL 2015/2019). A proposta já foi debatida em audiência pública e está aguardando novas recomendações do relator, o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO). A reportagem é de Bruno Lourenço, da Rádio Senado.

TÓPICOS:
Bahia  Bancos  Carga Tributária  Cidadania  Comércio  Comissão de Assuntos Econômicos  Desemprego  Desenvolvimento  Empresas  Goiás  Imposto de Renda  Indústria  INSS  PSD  Senador Jorge Kajuru  Senador Otto Alencar  Tributação  CAE  IR 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo