LDO

Base aliada de Bolsonaro conta com a manutenção dos vetos à LDO

02:21Base aliada de Bolsonaro conta com a manutenção dos vetos à LDO

Transcrição LOC: SENADO DEVERÁ MANTER VETOS AO PAGAMENTO OBRIGATÓRIO DAS EMENDAS DO RELATOR, QUE SOMAM TRINTA BILHÕES DE REAIS. LOC: BASE ALIADA CONTA COM O APOIO DO PODEMOS, CIDADANIA E REDE SUSTENTABILIDADE PARA EVITAR QUE APENAS UM PARLAMENTAR CONTE COM MUITOS RECURSOS. REPÓRTER HÉRICA CHRISTIAN: (TÉC): Uma nova sessão do Congresso Nacional está convocada para esta terça-feira. Entre os vetos que na pauta estão os que tratam da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2020. O Palácio do Planalto quer manter os dispositivos que obrigariam o governo federal a liberar R$ 30 bilhões para contratações consideradas prioritárias pelo relator-geral do Orçamento. As chamadas emendas individuais e de bancada, que financiam obras e serviços nos estados e municípios, já têm o pagamento obrigatório. Mas no ano passado, o Congresso Nacional criou a emenda impositiva do relator. Alegando engessamento do Orçamento, o presidente Jair Bolsonaro vetou essas mudanças. E contando com os votos de partidos, como o Podemos, Cidadania e Rede, a base aliada no Senado acredita na manutenção dos vetos. O vice-líder do governo, senador Chico Rodrigues, do Democratas de Roraima, disse que se derrubar os vetos, a palavra final será do Senado. (Chico Rodrigues): Na Câmera, é mais difícil dizer porque eu não sou deputado. Mas no Senado, eu entendo que os senadores são mais experientes, são mais compreensivos e nós temos mais três reformas pela frente. Temos a Reforma Tributária, temos a Reforma Administrativa e temos o Pacto Federativo. (Repórter): O senador Alvaro Dias, do Podemos do Paraná, argumentou que um único parlamentar contará com mais recursos do que muitos ministérios. Por isso, ele defende a manutenção dos vetos para evitar uso eleitoral do Orçamento Geral da União. (Alvaro Dias): Eu imagino que colocar bilhões nas mãos do relator para a sua distribuição é um exagero, e, certamente, abrir portas para eventuais desvios que possam ocorrer. Sobretudo, ignorar prioridades porque quase sempre, nunca generalizando, mas quase sempre, a distribuição desses recursos ocorre em função de interesse meramente eleitorais. (Repórter): Uma outra negociação que estava em andamento previa a “devolução” para o Executivo de R$ 15 bilhões dos R$ 30 bilhões aprovados como emenda impositiva do relator. Da Rádio Senado, Hérica Christian. Veto 52/2019

Com o apoio do Podemos, Rede e Cidadania, a base aliada do presidente Jair Bolsonaro conta com a manutenção dos vetos à Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2020 (Veto 52/2019). Um deles obriga o governo federal a liberar R$ 30 bilhões das chamadas emendas impositivas do relator-geral do Orçamento. O vice-líder do governo, senador Chico Rodrigues (DEM-RR), disse que os senadores vão manter os vetos apesar da derrubada pela Câmara dos Deputados. O senador Alvaro Dias (Podemos-PR) argumenta que com a nova regra apenas um parlamentar teria mais recursos do que muitos ministérios para decidir sozinho como aplica-los. As informações são da repórter da Rádio Senado, Hérica Christian.

Notícias relacionadas

Álvaro Dias acha que governo pode manter veto à LDO

TÓPICOS:
Bolsonaro  Câmara dos Deputados  Cidadania  Congresso Nacional  DEM  Estados  Lei de Diretrizes Orçamentárias  Municípios  Orçamento  Pacto Federativo  Paraná  Partidos  Podemos  PR  Rede  Rede Sustentabilidade  Reforma Administrativa  Reforma Tributária  Roraima  Senador Alvaro Dias  Senador Chico Rodrigues  Sustentabilidade  União  Vetos 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo