Dia Internacional da Mulher

Bancada feminina quer agilidade em projetos em defesa da igualdade de gênero

01:55Bancada feminina quer agilidade em projetos em defesa da igualdade de gênero

Transcrição LOC: AS SENADORAS QUEREM VOTAR, EM MARÇO, PROJETOS DE COMBATE À VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER E EM DEFESA DA IGUALDADE DE GÊNERO. LOC: OS LÍDERES PARTIDÁRIOS SE REÚNEM NA PRÓXIMA TERÇA-FEIRA E JÁ PODEM INCLUIR NA PAUTA DE VOTAÇÕES ALGUMAS DESSAS PROPOSIÇÕES. REPÓRTER MAURÍCIO DE SANTI: (Repórter) No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, o Senado deve analisar uma série de propostas sugeridas pela bancada de senadoras. Um desses projetos muda a Lei Maria da Penha para aumentar a proteção à mulher. Ele dá mais autonomia para a autoridade judicial e policial na adoção de medidas emergenciais protetivas. Constatado que há risco para a mulher, o agressor será imediatamente afastado do lar. Caso não haja comarca com juiz de plantão na cidade, o delegado ou um policial de plantão poderá decretar a medida protetiva. A senadora Zenaide Maia, do PROS do Rio Grande do Norte defendeu a ideia: (Zenaide Maia) Porque eu médica de serviço de urgência eu vi muitas mulheres espancadas e elas se negavam a prestar queixa porque iam voltar para casa sem nenhuma segurança. E na maioria das vezes pode matar ou apanhar mais, se soubesse que ela prestou queixa. Então, como a maioria dos municípios não têm um juiz, uma comarca de plantão, que a autoridade policial já possa dar proteção a essa mulher. (Repórter) A proposta está na Comissão de Constituição e Justiça, mas pode ser votada diretamente em plenário por decisão dos líderes partidários, que se reúnem na terça-feira com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, do Democratas do Amapá. Além desse projeto, a Procuradoria Especial da Mulher montou uma lista com cerca de 20 proposições que podem ser analisados no mês de março. Elas tratam da igualdade de gênero, do combate à violência e da proteção da família, da saúde e do trabalho. Um dos destaques é o projeto que criminaliza a violação do direito à amamentação. Apresentado pela ex-senadora Vanessa Grazziotin, o texto assegura o direito das mães de amamentar em qualquer local público sem sofrer nenhum tipo de impedimento ou constrangimento, mesmo que o local tenha espaço reservado para a amamentação. A matéria está na Comissão de Constituição e Justiça. PLC 94/2018 PLS 514/2015

No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher (08/03), a bancada de senadoras quer priorizar votação de projetos de combate à violência contra a mulher e em defesa da igualdade de gênero. Um dos destaques é o PLC 94/2018 que amplia a proteção da Lei Maria da Penha. De acordo com a proposta, se houver risco para a mulher, o agressor deverá ser imediatamente afastado do lar. Caso não haja comarca com juiz de plantão na cidade, a autoridade policial vai poder decretar a medida protetiva. A senadora Zenaide Maia (PROS-RN) defende a ideia e lembra que muitas mulheres se negam a prestar queixa com medo de voltar para casa sem nenhuma segurança.

TÓPICOS:
Amapá  Constituição  Davi Alcolumbre  Dia Internacional da Mulher  Família  Gênero  Justiça  Lei Maria da Penha  Municípios  PROS  Rio Grande do Norte  Saúde  Segurança  Senadora Vanessa Grazziotin  Senadora Zenaide Maia  Trabalho  Violência  Violência Contra a Mulher 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo