Violência

Atlas da Violência: 75% das pessoas assassinadas no Brasil são negras

Dados do Atlas da Violência 2020 apontam perfil de homicídios no país: jovens negros, solteiros e com baixa escolaridade. A pesquisa foi feita entre 2008 e 2018 pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Fórum de Segurança Pública. Para o senador Humberto Costa (PT-PE) os dados reforçam a desigualdade racial no país, já que mais de 75% das vítimas de homicídios são negras. A reportagem é de Marcella Cunha.

PDL 198 de 2020

31/08/2020, 17h02 - ATUALIZADO EM 31/08/2020, 17h02
Duração de áudio: 02:28
Pessoas negras protestando contra violência.
Foto: Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Transcrição
LOC: A MAIORIA DAS PESSOAS ASSASINADAS NO BRASIL SÃO HOMENS, NEGROS, JOVENS E DE BAIXA ESCOLARIDADE. LOC: É O QUE APONTOU O ATLAS DA VIOLÊNCIA DE 2020. A REPORTAGEM É DE MARCELLA CUNHA TÉC: O homicídio de pessoas negras aumentou 11,5 por cento entre 2008 e 2018. O índice vai na contramão do número de homicídios de pessoas brancas, amarelas e indígenas, que caiu quase 13% no mesmo período. Os dados são do Atlas da Violência elaborado pelo Ipea, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Para o senador Humberto Costa, do PT de Pernambuco, a pesquisa é uma triste confirmação do racismo no Brasil. (Humberto) Isso tão somente acentua as desigualdades em termos de um papel que tem o componente racial na nossa sociedade. Em 2018, por exemplo, 75,7% das vítimas de homicídio eram pessoas negras, quando a população negra no Brasil está perto de 55%. Portanto, é completamente desproporcional. (REP) Segundo o Atlas da Violência, entre 2008 e 2018 foram registrados 628 mil homicídios no país, sendo 91% das vítimas homens e o pico de mortes aos 21 anos de idade. 2018 teve a menor taxa de homicídios dos últimos 4 anos. Ainda assim, uma mulher foi assassinada a cada duas horas. Quase 70% delas eram negras, como apontou o estudo. O senador Humberto Costa também chamou a atenção para o alto índice de assassinatos por armas de fogo. Humberto é um dos autores do projeto que susta a portaria do governo que aumenta o limite de compra de munição por pessoa para até 6 mil unidades por ano. (Humberto) Mais da metade das pessoas mortas eram pessoas jovens, e 71,1% foram vitimadas por armas de fogo. Portanto, está o nosso País num caminho errado quando o Governo pretende e busca facilitar o acesso das pessoas às armas de fogo e, com isso, certamente, essa triste estatística de violência só tende a crescer. (REP) A senadora Eliziane Gama, do Cidadania do Maranhão, se manifestou em suas redes sociais e afirmou que é preciso enfrentar o racismo estrutural no país e proteger os jovens. Da Rádio Senado, Marcella Cunha

Ao vivo
00:0000:00