Sem receita

Compra de antibióticos em locais sem serviços de saúde pode ser facilitada

01:03Compra de antibióticos em locais sem serviços de saúde pode ser facilitada

Transcrição LOC: MORADORES DE LOCAIS SEM SERVIÇO DE SAÚDE PÚBLICA PODERÃO COMPRAR ANTIBIÓTICO SEM A NECESSIDADE DE RECEITA. LOC: ISSO SE VIRAR LEI UM PROJETO APRESENTADO PELO SENADOR GUARACY SILVEIRA. REPÓRTER LARISSA BORTONI. Tec: Os cidadãos que vivem em regiões do país onde não há serviço regular de saúde pública poderão comprar antibióticos sem a receita. Esse tipo de remédio, segundo uma determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – a Anvisa – só pode ser comercializado se houver o pedido do médico e a prescrição deve ser retida. Mas para o senador Guaracy Silveira, do PSL do Tocantins, essa regra é muito prejudicial, especialmente, para os moradores do interior, onde não há médicos. (Guaracy Silveira) Deus nos guarde de precisar de assistência médica. A coisa está muito ruim no Brasil. Tudo se complica, tudo se complica. Para comprar um simples antibiótico, que custa R$15, tem que se gastar 300. E isso não pode continuar. (Repórter) O projeto do senador Guaracy Silveira está em análise na Comissão de Assuntos Sociais e pode ser votado a partir de fevereiro, quando serão retomados os trabalhos parlamentares. PLS 545/2018

Moradores de locais sem serviço regular de saúde pública poderão comprar antibióticos sem receita médica. É o que prevê o PLS 545/2018, em análise na Comissão de Assuntos Sociais (CAS). A intenção é garantir o tratamento em locais com dificuldade de acesso a serviços médicos.

TÓPICOS:
antibióticos  Anvisa  Comissão de Assuntos Sociais  Guaracy Silveira  prescrição de remédios  receita obrigatória  remédio sem receita  Saúde  Saúde Pública  Vigilância sanitária 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo