Coronavírus

Análises de indicações de embaixadores aguardam votação do Senado

01:53Análises de indicações de embaixadores aguardam votação do Senado

Transcrição LOC: DEVIDO À IMPOSSIBILIDADE DE VOTAÇÃO SECRETA, OS INDICADOS PARA OCUPAREM O CARGO DE EMBAIXADOR NO EXTERIOR NÃO PODEM TER SEUS NOMES APROVADOS PELO SENADO ENQUANTO DURAR A CRISE DE COVID-19. LOC: NESTA SITUAÇÃO ESTÃO OS INDICADOS PARA AS EMBAIXADAS NOS ESTADOS UNIDOS E NO LÍBANO. REPORTAGEM DE IARA FARIAS BORGES. (Repórter) Já sabatinados e aprovados pela Comissão de Relações Exteriores, aguardam a aprovação de seus nomes pelo Plenário do Senado os diplomatas Nestor José Forster Junior, indicado para a embaixada do Brasil em Washington, nos Estados Unidos, e Hermano Telles Ribeiro, para a embaixada em Beirute, no Líbano. É que a indicação de embaixadores é votada tanto na Comissão de Relações Exteriores como no Plenário por votação secreta. Com a pandemia de covid-19 e a impossibilidade de reuniões e sessões presenciais, as votações no Senado acontecem de forma remota, sem a possibilidade do sigilo do voto, explicou o presidente da Comissão de Relações Exteriores, senador Nelsinho Trad, do PSD sul-mato-grossense. (Nelsinho Trad) “Após a sabatina, deve proceder a votação secreta. E não idealizaram ainda, remotamente, uma maneira de garantir o sigilo do voto. Se a gente insiste e volta a funcionar e um desses funcionários acaba contraindo essa doença e acaba falecendo, como nós vamos nos sentir diante disso? Então não dá para brincar, vamos esperar baixar essa onda e, a partir daí, com mais segurança, a gente poder retomar os trabalhos. Infelizmente, nós estamos num momento atípico, as pessoas têm que entender isso e nós estamos tendo que aprender a conviver com essa história”. (Repórter) Também o diplomata Roberto Caminha de Castilhos França, aguarda a aprovação de seu nome para a embaixada do Brasil nos países Baixos. A indicação ainda precisa ser analisada na Comissão de Relações Exteriores, onde aguarda a escolha do relator. Depois de aprovada na comissão, a indicação seguirá para análise do Plenário. - MSF 86/2019 - MSF 87/2019 - MSF 4/2020

Enquanto durar a crise da covid-19, o Senado não poderá aprovar os diplomatas Nestor José Forster Junior e Hermano Telles Ribeiro, indicados, respectivamente, para as embaixadas do Brasil em Washington, nos Estados Unidos (MSF 86/2019), e em Beirute, no Líbano (MSF 87/2019). As indicações da Presidência da República devem ser votadas, tanto na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), como no Plenário, por voto secreto. E, para evitar propagação do novo coronavírus, as votações no Senado têm acontecido de forma remota, sem a possibilidade do sigilo do voto, explicou o presidente da CRE, senador Nelsinho Trad (PSD-MS). Ainda depende de análise da CRE a indicação do diplomata Roberto Caminha de Castilhos França para chefiar a embaixada do Brasil na Holanda. Reportagem, Iara Farias Borges.

TÓPICOS:
Comissão de Relações Exteriores  Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional  Coronavírus  covid-19  CRE  Defesa Nacional  Embaixadores  Estados  Estados Unidos  França  pandemia  pandemia de covid-19  Plenário do Senado  Presidência da República  PSD  Relações Exteriores  Segurança  Senador Nelsinho Trad  Voto Secreto 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo