TCU autoriza a concessão de 15 aeroportos — Rádio Senado
Setor aéreo

TCU autoriza a concessão de 15 aeroportos

O Tribunal de Contas da União (TCU) autorizou na última quarta-feira (1º) a concessão de 15 aeroportos, entre eles o de Congonhas (SP). O senador Nelsinho Trad (PSD-MS) agradeceu aos ministros do TCU pela decisão unânime, que vai garantir investimentos no setor aeroportuário na ordem de mais de R$ 7,3 bilhões e beneficiar cerca de 35 milhões de passageiros. O governo deverá iniciar as licitações em agosto.

06/06/2022, 13h08 - ATUALIZADO EM 06/06/2022, 19h08
Duração de áudio: 01:40
Getty Images/iStockphoto/direitos reservados

Transcrição
O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO AUTORIZOU A CONCESSÃO DE QUINZE AEROPORTOS. SENADORES COMEMORARAM A DECISÃO, QUE VAI GARANTIR INVESTIMENTOS DE MAIS DE R$ 7 BILHÕES NO SETOR. A REPORTAGEM É DE IARA FARIAS BORGES. Por unanimidade, os ministros do Tribunal de Contas da União autorizaram o governo a privatizar 15 aeroportos pelo Brasil, entre eles, o de Congonhas, em São Paulo. Ao comemorar a decisão do TCU, o senador Nelsinho Trad, do PSD de Mato Grosso do Sul, destacou que os investimentos no setor aeroportuário podem passar dos R$ 7,3 bilhões. Para ele, quem ganha é a população. Isso porque os estudos de viabilidade das privatizações foram feitos em 2019. As análises atualizadas podem estabelecer um valor ainda mais alto a ser investido no setor. A população dos nossos estados deve ganhar, e muito, com essas novas concessões. Não há dúvida de que a expansão da infraestrutura aeroportuária depende da desestatização, que ainda tem o potencial de promover uma concorrência saudável no setor. Competição entre aeroportos significa oferta de melhores serviços, estímulo ao turismo e avanço tecnológico ao alcance de todos. Serão 35 milhões de pessoas beneficiadas diretamente e outros milhões indiretamente com estímulos às economias regionais. Além de Congonhas, foram contemplados os terminais de Campo de Marte, também em São Paulo; Campo Grande, Corumbá e Ponta Porã em Mato Grosso do Sul; Belém, Santarém, Marabá, Parauapebas e Altamira, no Pará; Montes Claros, Uberlândia e Uberaba em Minas Gerais; Jacarepaguá, no Rio de Janeiro; e Macapá, no Amapá. O governo deverá fazer as licitações em agosto. Da Rádio Senado, Iara Farias Borges.

Ao vivo
00:0000:00