Auxílio de R$ 600 já chegou a 50 milhões de pessoas, diz presidente da Caixa

Augusto Castro | 11/05/2020, 16h24

O pagamento do auxílio emergencial já chegou a 50 milhões de brasileiros, afirmou o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, a senadores e deputados. Na tarde desta segunda-feira (11), ele participa de audiência pública interativa na Comissão Mista da Covid-19, criada no Congresso Nacional para acompanhar a situação fiscal e a execução orçamentária e financeira das medidas relacionadas à pandemia causada pelo coronavírus.

— A Caixa está operacionalizando algo que nunca aconteceu na história — disse Pedro Guimarães, ao começar sua explanação inicial.

Quem conduz a audiência é o presidente da comissão mista, senador Confúcio Moura (MDB-RO). O objetivo da reunião é ouvir do presidente da Caixa informações sobre as ações do banco durante a pandemia, principalmente em relação ao pagamento do auxílio emergencial.

O auxílio emergencial é o maior programa de inclusão financeira já feito no país e já beneficiou um terço dos brasileiros adultos, segundo Guimarães. De acordo com os dados fornecidos pelo presidente da Caixa, 50 milhões de cidadãos já receberam a primeira parcela de R$ 600 (em alguns casos, R$ 1,2 mil): 19,2 milhões de pessoas cadastradas no programa Bolsa Família, 10,5 milhões de inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) e 20,3 milhões que se inscreveram pelo aplicativo ou pelo site da Caixa. O total já pago é de R$ 35,5 bilhões.

No total, afirmou Guimarães, foram 96,6 milhões de cadastros processados, sendo que 30 milhões foram classificados como de pessoas que não têm direito ao "coronavaucher", como foi apelidado o auxílio emergencial. Há pelo menos 20 milhões de cadastros ainda em análise ou que não foram concluídos. Ele disse ainda que o aplicativo criado exclusivamente para as pessoas se inscreverem já foi baixado mais de 85 milhões de vezes, a central telefônica recebeu mais de 142 milhões de ligações e o site já teve mais de 750 milhões de visitas.

O presidente da Caixa também afirmou que 20,8 milhões de pessoas receberam a primeira parcela do auxílio pelo aplicativo. Desses, 7,2 milhões sacaram em agências bancárias, caixas eletrônicos ou lotéricas.

— Este é o público mais carente dentro dos mais carentes, estes 7,2 milhões de brasileiros. São as pessoas que precisam de auxílio mesmo para fazer um saque, esse é o pessoal mais carente — disse Pedro Guimarães.

Ele disse ainda que as grandes filas em agências da Caixa já diminuíram substancialmente e que o pagamento da segunda parcela será feito de acordo com o mês de nascimento do beneficiário, para evitar novas aglomerações. Ainda segundo Guimarães, 94% dos 50 milhões de beneficiados já sacaram ou transferiram o benefício.

Guimarães informou que as mais de 4 mil agências da Caixa estão abrindo com duas horas de antecedência e centenas delas funcionam aos sábados. De acordo com ele, o banco contratou 3.991 novos vigilantes e 389 recepcionistas, estando outras centenas em vias de contratação. No total, pelo menos 35 mil funcionários estão trabalhando.

A Caixa, disse, comprou 768 mil máscaras, 15 mil protetores faciais e 649 mil litros de álcool em gel para proteção de seus funcionários, empregados e clientes.

— Nós, da Caixa Econômica Federal, fazemos o máximo possível para ajudar a população mais carente. Temos 35 mil funcionários trabalhando de segunda a sábado, das 8h às 14h. Colegas nossos chegam a atender 2 mil pessoas em um dia. É realmente algo sem precedentes — afirmou.

 

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
12h00 Votação de vetos: Foi encerrada a sessão do Congresso para análise de vetos pelos deputados. Colégio de líderes se reúne em seguida para fazer acordo de procedimentos para votação. Nova sessão, com a mesma pauta, foi convocada para as 14h.
10h54 Sessão do Congresso: Começou a sessão remota do Congresso Nacional em que deputados analisam vetos presidenciais e dois projetos de lei. À tarde, será a vez de os senadores votarem a mesma pauta.
Ver todas ›