Conselho Editorial vai organizar comemorações dos 200 anos da Independência

Da Redação | 22/11/2019, 13h09

O Senado deu, nessa quinta-feira (21), a largada para as comemorações do bicentenário da Independência do Brasil, que ocorre em 2022. O Conselho Editorial, composto por intelectuais e servidores da Casa, é responsável pela publicação de obras de valor histórico. Em setembro, o órgão assumiu uma nova incumbência: preparar uma programação que incluirá seminários, edição de livros e produção de material multimídia sobre os antecedentes históricos do 7 de setembro de 1822 e sobre as consequências da Independência para a consolidação do Brasil como Estado e nação.

O grupo responsável por definir as atividades é coordenado pela professora Heloísa Starling, da Universidade Federal de Minas Gerais. Uma das historiadoras mais respeitadas do país, Starling lembra que, ao contrário do que diz o senso comum, a Independência não foi um movimento apenas das elites. Houve participação popular, como demonstra o estudo de rebeliões ocorridas em quase todas as regiões no final do século 18 e início do século 19, e que serão tema dos debates promovidos pelo Senado. Nas palavras da historiadora, é preciso investigar o espólio da Independência.

— Conhecer a história vai nos ajudar a pensar sobre o que estamos fazendo agora. Tomar a história da Independência como um direito à cidadania vai nos permitir pensar o brasileiro que nós somos e o que podemos ser e vai nos ajudar a pensar, nesse tempo difícil, o futuro do país — explicou a professora.

O Conselho Editorial é presidido pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Ele avalia que a data é uma oportunidade fundamental para que a sociedade discuta um projeto de país para os próximos anos. Foi o que ocorreu no primeiro centenário e, mesmo nos 150 anos da Independência, apesar de o Brasil estar amordaçado pela ditadura militar. O senador ressalta o papel fundamental do Senado na criação de um ambiente para o debate, baseado na experiência histórica.

— Essa geração não pode passar para a história como a primeira que não refletiu sobre a formação do Brasil. Nenhuma instituição está pensando o que representa esses 200 anos e nessa reunião do Conselho [realizada nesta quinta-feira] conseguimos apontar isso — disse o senador.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
10h50 Conselho profissional: A Comissão de Assuntos Sociais rejeitou o Projeto de Lei da Câmara 10/2017 que autoriza trabalhador estrangeiro a compor conselho profissional. A matéria segue para a Comissão de Relações Exteriores.
10h48 Acompanhamento escolar dos filhos: A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) aprovou o Projeto de Lei do Senado 4.138/2019, que incentiva os pais a comparecer à escola dos filhos para acompanhar o processo educativo. A matéria segue à Comissão de Constituição e Justiça.
10h45 Venda de terras a estrangeiros: As Comissões de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) e de Assuntos Econômicos (CAE) aprovaram o Projeto de Lei (PL) 2.963/2019, que permite a aquisição de terras e imóveis rurais por pessoas e empresas estrangeiras.
Ver todas ›