Telmário pede a demissão do chanceler Ernesto Araújo

Da Redação | 18/11/2019, 15h33

O senador Telmário Mota (Pros-RR) pediu nesta segunda-feira (18), em Plenário, que o presidente da República, Jair Bolsonaro, demita o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. Para o parlamentar, o chanceler tem colocado os seus interesses ideológicos acima dos interesses do Estado.

Na opinião de Telmário, a boa relação entre os países-membro do Mercosul é essencial para o desenvolvimento do Brasil. No entanto, para o senador, não é essa a política que tem sido adotada pelo ministro.

O parlamentar afirmou que o chanceler tem desrespeitado o artigo 4° da Constituição Federal, que diz: “A República Federativa do Brasil buscará a integração econômica, política, social e cultural dos povos da América Latina, visando à formação de uma comunidade latino-americana de nações”.

— O presidente Jair Bolsonaro tem que demitir esse tal de Ernesto Araújo porque ele é um antipatriótico, é um anti América Latina, é um desintegrador do nosso continente — criticou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
15h20 Medicação: Jorginho Mello (PL-SC) falou de caso de "tratamento precoce" que teria sido bem-sucedido; Mandetta, que já havia falado sobre a necessidade de base científica, respondeu que os padrões médicos devem ser coletivos.
15h18 Saúde mental: Mandetta sugeriu que Ministério da Saúde estabeleça ambulatórios para saúde mental "pós-covid", visando cuidar de pacientes que possam ter desenvolvido sequelas ou traumas após a doença: "A parte mental é uma das mais atingidas".
15h13 Governo sabia: Segundo Mandetta, governo sabia que fazia propaganda de remédios sem prova científica. Em resposta a Otto Alencar (PSD-BA), ex-ministro contou ter explicado ao Planalto que não havia estudos a favor de tratamento precoce.
Ver todas ›