Acir Gurgacz critica privatizações do setor energético brasileiro

Da Rádio Senado | 18/10/2019, 12h01

O senador Acir Gurgacz (PDT-RO) defendeu a não privatização do setor energético brasileiro, em especial no estado de Rondônia. O parlamentar reclamou dos preços abusivos que, segundo ele, foram estabelecidos após a privatização da Ceron (Centrais Elétricas de Rondônia) e da Eletroacre. Ele ressaltou que o setor é um segmento importante para segurança nacional.

— Algumas privatizações são importantes, mas, quando se fala em energia, eu entendo que não deveríamos ter tido essas privatizações. Nós não poderíamos estar repassando para empresas privadas a distribuição e a organização da energia no nosso país. Vejamos o que está acontecendo em Rondônia.

Gurgacz explicou que, após a privatização, o aumento da tarifa de energia não é apenas de 27%, como ocorreu no primeiro mês subsequente à privatização da Ceron, mas de 50% e 60%. Ele informou ainda que na semana passada a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) negou mais um dos pedidos de reajuste da atual empresa responsável após a privatização, a Energisa.

— Eu já denunciei diversas vezes aqui do Plenário, na tribuna do Senado, os abusos da Energisa. E vou continuar ao lado da população, contra os reajustes e contra os abusos cometidos por essa empresa, como, por exemplo, os desligamentos sem respaldo legal, os frequentes apagões e a falta de investimento na modernização e na ampliação na rede de distribuição no estado — disse.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
21h07 Jorge Kajuru: O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, informou que o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO), socorrido em Plenário, está bem, dirigindo-se ao hospital, e que agradeceu pela solidariedade pelos colegas.
20h48 Sessão retomada: Após o atendimento médico para o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO), que passou mal, o Plenário retomou a sessão deliberativa para seguir com a votação da proposta de emenda à Constituição (PEC) 133/2019.
20h35 Sessão suspensa: A sessão deliberativa foi suspensa há pouco para o atendimento médico ao senador Jorge Kajuru, que passou mal em Plenário.
Ver todas ›