Escolha do presidente do Senado deve ter voto secreto

Da Redação | 02/02/2019, 12h27 - ATUALIZADO EM 02/02/2019, 13h13

Deve ser secreto o voto dos senadores para a escolha, logo mais, do novo presidente do Senado. Após intensa polêmica na noite da última sexta-feira (1°), que levou ao adiamento da votação e a uma decisão liminar do STF pelo voto secreto, a discussão deste sábado (2) gira em torno da maneira de votar. Enquanto alguns senadores defendem a votação em cédula, para que possam mostrar o voto, outros defendem a votação em urna eletrônica.

A decisão liminar do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, proferida na madrugada deste sábado, foi de que eleição deve realizada por meio de votação secreta. Com isso, ficou anulada a votação feita pelos senadores que havia decidido, por 50 votos a dois, pela votação aberta. O pedido ao STF foi feito pelos partidos políticos Solidariedade e MDB.

A sessão está sendo conduzida pelo senador José Maranhão (MDB-PB), o mais idoso entre os presentes, como decidiu Toffoli. A condução da sessão pelo senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), o único remanescente da Mesa anterior que continua no mesmo mandato nesta legislatura, também havia sido motivo de questionamentos na sexta-feira. Senadores alegavam que ele não poderia conduzir a sessão porque pretendia concorrer à presidência da Casa.

Mais informações a seguir

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)