Pautas da Constituinte continuam em debate até hoje, afirma Oscar Corrêa Júnior

Da Redação | 20/12/2018, 09h54 - ATUALIZADO EM 20/12/2018, 12h46

Selo_30 anos _da _Constituição_A economia foi uma das áreas de grande embate durante a Constituinte de 1987/88. De acordo com o ex-deputado Oscar Corrêa Júnior, o grupo que ficou conhecido como Centrão reunia parlamentares mais liberais, enquanto a esquerda do MDB defendia propostas que variavam da social-democracia até o socialismo. Ele conta ao programa Constituição 30 anos que, após aprovado o texto da Constituição, ele, Luís Eduardo Magalhães, Paes Landin e mais alguns deputados apresentaram um voto em separado, para marcar posição de defesa da economia liberal. “Na hora que a gente perde, isso não significa dizer que você não possa guardar posição, mas na hora você se sujeita à vontade da maioria”, explica.

O advogado e deputado constituinte, eleito por Minas Gerais pelo então PFL, afirma que muitas ideias liberais da época foram implementadas depois, principalmente na reforma do Estado, em 1995. Outras estão em debate até hoje, como a reforma da Previdência. Corrêa Júnior acredita que essas reformas são conflitantes com os direitos sociais previstos na Constituição, que deram ao texto o apelido de Constituição cidadã.

O constituinte conta que, apesar de os anos 80 terem sido um período de grandes polêmicas na política — eleições diretas, capitalismo e socialismo, ditadura e democracia —, a convivência dos parlamentares era amistosa, bem diferente do cenário de polarização pelo qual passou o país desde a eleição de 2014 e o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

— Todos os deputados da época tinham uma coisa interessante: nós podíamos ser adversários políticos, mas éramos todos companheiros. Você podia divergir, brigar na tribuna, xingar, mas na hora que acabasse aquilo ali, nós íamos confraternizar e fazer até uns acordos. Era nessa hora que a gente negociava — lembra.

COMO ASSISTIR

Constituição 30 anos com Oscar Corrêa Júnior

Estreia: Quinta, 20/12, 20h

Reprise: Sexta, 21/12, 8h e 13h

Como sintonizar: http://www.senado.leg.br/noticias/tv/comosintonizar.asp

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)