Irregularidades graves em obras de rodovias são debatidas pela Comissão de Orçamento

Da Rádio Senado | 22/11/2018, 16h38 - ATUALIZADO EM 23/11/2018, 10h02

A maior parte das obras que tiveram a paralisação recomendada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) no início do mês é da área de transporte. A paralisação das obras — com irregularidades consideradas graves — foi tema de audiência nesta quinta-feira (22) pela Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO). Entre os principais problemas identificados estão falhas nos projetos básico e executivo e sobrepreço na execução das obras.

Entre as obras com irregularidades apontadas está a BR-040, entre o Rio de Janeiro e Juiz de Fora (MG), onde o governo federal ajuda a concessionária a fazer uma nova subida da serra de Petrópolis (RJ).

O diretor-executivo da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Guilherme Bianco, que disse serem necessários mais recursos para concluir os estudos para a construção de um túnel e para o novo projeto de concessão do trecho, em 2021.

— Dentro dessa obra tem um túnel de quase cinco quilômetros, que é um dos maiores túneis da América Latina. É preciso contratar os especialistas para fazer essa avaliação e também preparar um projeto executivo para a nova concessão — disse Bianco.

O representante do Tribunal de Contas da União (TCU), Fernando Ferreira, por sua vez, afirmou que a União já pagou por esses estudos e que é preciso cobrar o projeto da concessionária. O TCU sugere que antes haja a correção do sobrepreço, a atualização dos projetos básico e executivo e o detalhamento de todos os custos da obra.

O senador Wellignton Fagundes (PR-MT) cobrou uma solução para que as obras não fiquem paradas.

— Uma obra paralisada não serve para nada, porque ela causa um prejuízo muito grande para a população.  Se a manutenção não é feita, aquilo acaba sendo depredado, e para recomeçar uma obra inacabada depois de dois anos, o custo é muito maior — lamentou.

Além da BR-040, o TCU apontou irregularidades na BR-290 no Rio Grande do Sul; em dois trechos do Rodoanel Norte, em São Paulo; e na ferrovia Transnordestina, que já consumiu R$ 11 bilhões, mas está praticamente abandonada. A paralisação das obras está sendo analisada pelo Comitê de Avaliação das Informações sobre Obras e Serviços com Indícios de Irregularidades (COI), que auxilia a CMO.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
20h27 Transporte exclusivo para cuidadores: O Plenário aprovou substitutivo ao Projeto de Lei 2.178/2020, que prevê transporte exclusivo para cuidadores de pessoas com deficiência, de portadores de doenças raras e de idosos durante a pandemia. A matéria segue para a Câmara.
19h57 Dívidas rurais: O Plenário aprovou substitutivo ao Projeto de Lei 1.543/2020, que prorroga o vencimento de dívidas rurais de agricultores familiares. A matéria segue para a Câmara.
17h53 Cessão de leitos para o SUS: O Plenário aprovou substitutivo ao Projeto de Lei 2.324/2020, que obriga hospitais privados a ceder leitos desocupados para tratar pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) com a covid-19. A matéria segue para a Câmara.
Ver todas ›