Vanessa Grazziotin rechaça falas de Eduardo e Jair Bolsonaro contra o STF e oposição

Da Redação e Da Rádio Senado | 23/10/2018, 16h52 - ATUALIZADO EM 23/10/2018, 17h28

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) lamentou em discurso no Plenário, nesta terça-feira (23), a declaração do deputado eleito Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) ameaçando o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF). Bolsonaro declarou que para isso bastaria “um soldado e um cabo”. Para a senadora amazonense, a declaração revela o autoritarismo e o desrespeito em relação às instituições.

— Não tem o menor apreço pela democracia. Alguém que se manifesta abertamente, de forma declarada, autoritário, que defende a força como mecanismo para combater aqueles que lhe são contrários. Quero aqui destacar a manifestação do ministro Alexandre de Moraes. Ele disse que essa manifestação de Eduardo Bolsonaro é algo inacreditável. Que em tese, isso é crime tipificado na lei de segurança nacional: incitar animosidade entre as Forças Armadas e instituições civis. Isso é crime previsto na Lei de Segurança Nacional — afirmou a senadora citando o ministro do STF.

Vanessa Grazziotin lembrou ainda a declaração do candidato à presidência, Jair Bolsonaro, que afirmou que irá banir do Brasil “os marginais vermelhos que se não quiserem ser presos terão que sair do Brasil”. A senadora comparou os discursos de Bolsonaro ao discurso do líder nazista Adolf Hitler antes de chegar ao poder na Alemanha nos anos 30.

A senadora do PCdoB fez um apelo aos democratas do país afirmando que a eleição de Fernando Haddad é o único caminho para a paz no país. Segundo ela, o Senado precisa se manifestar sobre as declarações como instituição e dar um basta ao que vem acontecendo no país.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)