Chico Rodrigues apoia interligação de Roraima a sistema nacional de energia

Da Redação | 23/10/2018, 11h23 - ATUALIZADO EM 19/11/2018, 17h43

Selo_Eleições_2018A ligação de Roraima ao Sistema Interligado Nacional (de produção e transmissão de energia) e, por meio rodoviário, com a Guiana são dois dos principais pontos defendidos pelo senador eleito Chico Rodrigues (DEM-RR). Para ele, a questão da energia é um problema recorrente que precisa de solução.

— Esse é um problema que nós estamos enfrentando já há muitos anos e que vai ser uma das nossas prioridades no início desse mandato. É preciso definir o mais rápido possível junto com a Eletrobras e o Ministério das Minas e Energia a interligação de Roraima ao sistema nacional de energia, com a ligação à rede de Tucuruí, que já chegou ao Amazonas — afirmou.

O senador eleito disse que também dará prioridade à ligação terrestre de Roraima com Georgetown, capital da Guiana. Ele lembrou que a obra pode facilitar o escoamento da produção do estado e do Brasil para os mercados internacionais por meio do Oceano Atlântico.

— Nós estamos a 670 quilômetros de Georgetown e queremos trabalhar com o governo federal e com o governo da Guiana essa ligação internacional que vai aproximar Roraima do mundo. Esse é outro ponto importantíssimo — destacou.

Regularização fundiária

Chico Rodrigues falou também da regularização fundiária e do agronegócio. Na opinião do senador eleito, é possível dar maior autonomia para o estado por meio da produção agrícola.

— Com a questão da regularização fundiária de uma forma definitiva, Roraima terá sua autonomia. Nós vamos dar o grande salto na produção do estado de Roraima para atender a Amazônia e os países vizinhos, como Colômbia, Guiana e Venezuela — afirmou o senador eleito, que defendeu ainda o acompanhamento e a fiscalização das fronteiras para que o Brasil fique protegido.

Engenheiro agrônomo, Rodrigues lembrou que tem uma longa carreira política. Foi vereador, deputado federal por cinco mandatos e governador de Roraima durante nove meses, em substituição a José de Anchieta Júnior, de quem era vice. Na entrevista, ele prometeu um mandato de interação com a população e disse que ouvir as pessoas pode trazer a percepção do que realmente é mais urgente para o estado.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)