MP dos refugiados não resolve os problemas de Roraima, diz Telmário

Da TV Senado | 22/06/2018, 15h33 - ATUALIZADO EM 27/06/2018, 12h27

Em entrevista nesta quinta-feira (21) à TV Senado, o senador Telmário Mota (PTB-RR) disse que a Lei 13.684/2018 (oriunda da Medida Provisória (MPV) 820/2018 é insuficiente para resolver a situação de Roraima, principal porta de entrada dos refugiados venezuelanos que fogem da crise no país vizinho. O texto, que também foi sancionado na quinta-feira (21), cria um comitê de assistência a migrantes em situação vulnerável; prioriza políticas de saúde, educação e ajuda humanitária; e prevê a interiorização de venezuelanos.

Estima-se que o Brasil tenha recebido mais de 90 mil venezuelanos desde 2015, metade dos quais teriam permanecido no país. O Brasil é o segundo destino mais procurado pelos vizinhos, perdendo apenas para a Colômbia. “Roraima está à beira de um colapso. O governo federal deu pouca atenção para essa crise e foi muito lento em tomar providência”, critica Telmário na entrevista ao programa Salão Nobre.

O senador disse ainda que o estado precisa de ajuda financeira federal, já que 75% das receitas vêm do Fundo de Participação dos Estados. Também afirma que o país não estava preparado para uma lei de migração mais receptiva à entrada de imigrantes. Como solução para reduzir o fluxo migratório, ele defende uma intervenção da ONU e da comunidade internacional na política venezuelana, para que busquem a pacificação do país vizinho.

Publicada lei de assistência emergencial a imigrantes no Brasil

Imigração venezuelana é tema de reportagem especial da Rádio Senado

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)