Roraima perde com privatização do setor elétrico, diz Ângela Portela

Da Redação | 20/06/2018, 16h47

A privatização das distribuidoras de energia faz parte do processo de destruição do setor elétrico nacional, opinou a senadora Ângela Portela (PDT-RR) em pronunciamento nesta quarta-feira (20). Ela alertou para os valores mínimos extremamente baixos para a venda das empresas e, em seu prognóstico, a privatização das distribuidoras resultará em “socialização dos prejuízos”.

A senadora sublinhou que os estados com distribuidoras deficitárias poderão ser “abandonados à própria sorte”, situação que aumentará o prejuízo para Roraima. Ângela Portela lembrou que seu estado é dependente da energia da Venezuela, que não está sendo paga pelo governo federal há três meses. Essa crise, segundo a parlamentar, submete a população de Roraima ao risco de apagões.

— Quem lucra com essas situações são as termelétricas. Elas recebem dinheiro para ficar de reserva, em caso de apagão, mesmo sem fornecer energia. Você imagina: pagando caríssimo à empresa que administra as termoelétricas e há denúncias graves de que essa empresa tem vínculo com políticos de Roraima.

Ângela acrescentou que Roraima é o único estado não interligado ao Sistema Elétrico Nacional e que, se as empresas de energia forem privatizadas, o Linhão de Tucuruí jamais será construído por ser um investimento muito caro para os grupos privados.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
14h29 Comissão de Infraestrutura: Por aclamação, o senador Dário Berger (MDB-SC) foi eleito presidente da Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) para o biênio 2021-2023. A vice-presidência ficará a cargo do senador Jayme Campos (DEM-MT).
12h19 Comissão de Ciência e Tecnologia: Por aclamação, o senador Rodrigo Cunha (PSDB-AL) foi eleito presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia (CCT) para o período 2021-2023.
11h58 Comissão de Desenvolvimento Regional: Os senadores Fernando Collor (Pros-AL) e Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) foram eleitos, respectivamente, presidente e vice da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) para o biênio 2021-2023.
Ver todas ›