Gleisi condena privatização da Eletrobras e afirma que tarifas vão subir

Da Redação | 14/06/2018, 14h32

Em discurso nesta quinta-feira (14), a senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) condenou a intenção do governo de Michel Temer de privatizar o sistema Eletrobras e alertou que as tarifas vão subir, caso a empresa seja vendida. Ela apoiou a paralisação dos servidores do setor, ocorrida de 11 a 13 de junho, não em busca de melhores salários, mas sim em defesa da empresa pública, criada com o dinheiro do povo, frisou.

Para a senadora, é difícil entender por que o Executivo quer abrir mão da regulação do preço da energia com a expectativa de arrecadar cerca de R$ 12 bilhões, montante muito menor que o deficit orçamentário autorizado pelo Congresso para 2018. Ela questionou qual a vantagem para o erário em se desfazer da maior empresa de energia, que coordena todo o sistema elétrico brasileiro, por um valor que não fará tanta diferença na dívida pública.

Gleisi também criticou o discurso do Executivo que prega a provável redução de preços das tarifas de energia a partir da venda dos ativos do setor elétrico. Para ela, a diminuição não ocorrerá.

— A Celg [Companhia Energética de Goiás], na sequência da privatização, já teve aumento de 16% [nas contas de energia] e a inflação no período foi de menos de 3% — exemplificou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
16h04 Corretor de moda: O Plenário aprovou o PLC 200/2015, que regulamenta a profissão de corretor de moda. A matéria vai a sanção.
16h00 Roubo de cargas: O Plenário aprovou o PLC 8/2018, que aumenta a punição contra roubo de cargas e contrabando. A matéria volta à Câmara.
15h51 Embaixador no Azerbaijão: Por 42 votos a favor, 3 contra e uma abstenção, o Plenário aprovou a indicação do diplomata Manuel Lopes da Cruz para o cargo de embaixador do Brasil no Azerbaijão (MSF 40/2018).
Ver todas ›