Lídice da Mata celebra decisão do TSE de destinar 30% de fundo eleitoral para as candidatas

Da Redação e Da Rádio Senado | 23/05/2018, 17h35 - ATUALIZADO EM 24/05/2018, 08h53

A senadora Lídice da Mata (PSB-BA) comemorou nesta quarta-feira (23) a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que, provocado pela Procuradoria da Mulher do Senado e pela Procuradoria da Mulher da Câmara dos Deputados, decidiu destinar 30% do fundo eleitoral para as candidaturas de mulheres.

Na opinião de Lídice, o TSE deu um passo importante para viabilizar, no futuro, a participação mais efetiva das mulheres no contexto da política eleitoral no Brasil, uma vez que apenas obrigar os partidos a terem cargos e manter o mínimo percentual para organizar as chapas, se mostra cada vez menos eficiente.

— O nosso Congresso Nacional, na última reforma, ou minirreforma eleitoral que fez, teve, eu acho uma coisa assim assombrosa, de definir que as mulheres, as candidaturas de mulheres, teriam direito a no mínimo 5% do fundo partidário e a no máximo 15%. Ora, há uma contradição nessa posição do Congresso. Se são 30%, se é 30% a exigência da chapa de composição de mulheres, como é que esses 30% podem receber no máximo 15% dos recursos do fundo eleitoral? Isso é um absurdo! O Tribunal Superior Eleitoral deu um passo importantíssimo para viabilizar, no futuro, uma participação mais efetiva das mulheres no contexto da política eleitoral em nosso país — afirmou a senadora em Plenário.

Lídice da Mata ressaltou que as mulheres não aguentam mais serem chamadas a participar de campanhas onde elas “servem apenas de escada” para a eleição de cada vez mais homens para o Parlamento.

— Não que tenhamos nada contra a presença dos homens, mas nós temos, sim, a favor da presença das mulheres. Somos 52% da população brasileira, que deseja participar da política. E a nossa palavra de ordem nesta eleição, tem que ser: 'Nenhuma mulher a menos na política e muitas, e muitas a mais!'

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)