Requião apresenta crítica do Vaticano ao sistema econômico e financeiro vigente

Da Redação | 22/05/2018, 21h46 - ATUALIZADO EM 23/05/2018, 14h19

O senador Roberto Requião (PMDB-PR), em pronunciamento nesta terça (22), apresentou documento divulgado pela Igreja Católica no início do ano que condena os “excessos da especulação financeira em tempos de globalização, com fundamento não apenas em preceitos religiosos, mas sobretudo éticos”.

Requião disse que, no documento, o papa Francisco pede uma regulação mundial do mercado do dinheiro, lembra que isso poderia ter ocorrido depois da crise de 2008, e que essa oportunidade foi perdida. O papa, informou o senador, ponderou que, “embora o bem-estar econômico global tenha crescido ao longo da segunda metade do século, com uma rapidez nunca experimentada antes, constata-se que, ao mesmo tempo, aumentaram as desigualdades entre os países e no interior dos países. Além disso continua a ser ingente o número de pessoas que vivem em condições de extrema pobreza”.

— São palavras muitas vezes duras, porém não muito diferentes das que eu próprio tenho pronunciado, na condição de leigo, vazando a minha indignação contra a escravização a que o mercado do dinheiro tem levado bilhões de pessoas no mundo, especialmente no Brasil, no nosso País — acrescentou Requião.

Requião convidou os outros senadores a lerem a versão completa do texto, intitulado Oeconomicae et Pecuniarae Quaestiones. O senador reforçou o valor moral e ético do documento e o brilhantismo dos fundamentos econômicos apresentados na crítica aos processos de financeirização das economias mundiais.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)