Ana Amélia critica suspensão de renegociação de dívidas de produtores por bancos estatais

Da Redação e Da Rádio Senado | 16/05/2018, 17h23 - ATUALIZADO EM 16/05/2018, 18h03

A senadora Ana Amélia (PP-RS) manifestou surpresa, nesta quarta-feira (16), com a decisão do governo de suspender a participação dos bancos oficiais na renegociação das dívidas de pequenos produtores rurais.

— E a Contag, Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura, que não representa latifúndio, que não representa grandes fazendeiros, diz, através do seu presidente, que tem 600 mil produtores filiados e eles precisam de renegociar suas dívidas com os bancos. E hoje o governo suspendeu a participação dos bancos oficiais nessa renegociação. Que descalabro é esse? Que situação de insegurança é essa em que sequer se informa que será preciso um desembolso do Tesouro estimado em R$ 17 bilhões para essa renegociação? — declarou Ana Amélia em Plenário.

Ela cobrou equilíbrio e responsabilidade do governo na negociação com produtores rurais para não agravar a situação de insegurança jurídica. A senadora lamentou a controvérsia sobre a constitucionalidade da cobrança do Funrural, uma pendência que já dura 12 anos e que obrigou o Congresso a negociar uma repactuação com a Receita Federal. Ela também criticou a medida que suspendeu a participação dos bancos oficiais na renegociação das dívidas dos pequenos agricultores.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)