Fernando Collor defende ampla reforma constitucional

Da Redação e Da Rádio Senado | 17/04/2018, 18h51 - ATUALIZADO EM 17/04/2018, 19h13

O senador Fernando Collor (PTC-AL) afirmou nesta terça-feira (17) que, apenas 30 anos após a sua promulgação, a Constituição já está envelhecida e ineficaz, fato comprovado pelo elevado número de emendas. Ele apontou o excesso de artigos, dispositivos e assuntos nela tratados.

Por isso, ele defendeu um ampla reforma no texto constitucional, sem descartar, inclusive, o trabalho autônomo de uma assembleia constituinte, de modo a torná-lo mais enxuto, claro, direto, de modo a não gerar dúvidas de interpretação.

— Por consequência, essa revisão acarretará, obrigatoriamente, nas reformas essenciais de que o Brasil necessita, como aqui já dito. A reforma política, incluindo o novo Pacto Federativo e uma nova organização do Estado e seus poderes. A reforma tributária, dentro de um modelo simplificado e de recolhimento digitalizado. A reforma fiscal, baseada num sistema mais equilibrado e responsável. E, por fim, a reforma previdenciária, com base numa ordem mais justa e atualizada, respeitados os direitos adquiridos — declarou o senador.

Fernando Collor acrescentou que é a população quem deve decidir qual o melhor caminho a seguir no aperfeiçoamento da Constituição.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)