Comissão aprova MP que cria cargos para apoiar a recuperação fiscal dos estados

Da Redação | 14/03/2018, 18h19 - ATUALIZADO EM 15/03/2018, 08h52

A comissão mista que analisa a Medida Provisória 816/2017 aprovou, nesta quarta-feira (14), o projeto de lei de conversão do deputado Subtenente Gonzaga (PDT-MG). A MP cria três cargos em comissão para compor os conselhos de Supervisão dos Regimes de Recuperação Fiscal dos estados e do Distrito Federal, vinculados ao Ministério da Fazenda.

Em seu relatório, Gonzaga acolheu emenda do deputado José Guimarães (PT-CE) que impede a retirada de recursos das áreas de seguridade social, educação e segurança pública para cobrir os gastos com os cargos criados pela MP. Outras duas emendas foram rejeitadas pelo fato de terem objetivos semelhantes e já estarem, portanto, contempladas no texto do relatório, conforme avaliou Subtenente Gonzaga.

Nenhum parlamentar quis discutir a MP durante a reunião da comissão especial, presidida pelo senador Elber Batalha (PSB-SE).

Objetivos

Segundo argumenta o Poder Executivo, a MP auxilia no cumprimento da Lei Complementar 159/2017, que instituiu o Regime de Recuperação Fiscal para os estados e o Distrito Federal. De acordo com a lei, os entes em situação de grave crise financeira que precisarem adotar medidas de ajuste para recuperar o seu equilíbrio fiscal poderão aderir ao regime. Para isso, eles terão de apresentar planos de recuperação fiscal que serão avaliados pelos conselhos de Supervisão do Regime de Recuperação.

O objetivo da MP é viabilizar o funcionamento desses conselhos, que serão formados por três membros titulares, e seus suplentes, com experiência profissional e conhecimento técnico nas áreas de gestão de finanças públicas, recuperação judicial de empresas, gestão financeira ou recuperação fiscal de entes públicos. Os titulares terão cargos do Grupo-Direção e Assessoramento Superior (DAS) de nível 6, em regime de dedicação exclusiva.

A criação dos cargos terá impacto financeiro de R$ 791 mil em 2018 e de R$ 827 mil em 2019.

Tramitação

A MP será analisada agora pelos Plenários da Câmara dos Deputados e do Senado.

Da Agência Câmara Notícias

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)