Lindbergh Farias condena diferença salarial entre homens e mulheres

Da Redação | 08/03/2018, 15h00 - ATUALIZADO EM 08/03/2018, 15h52

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) defendeu nesta quinta-feira (8), Dia Internacional da Mulher, um tratamento igualitário entre os gêneros nas empresas. Ele defendeu a aprovação de um projeto seu que veda a diferença salarial entre homens e mulheres na mesma função. O projeto deve ser votado na próxima semana na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e estabelece uma multa para a empresa que fizer essa diferenciação (PLS 33/2018).

— Hoje, o protagonismo é das mulheres. Esse projeto combate a distorção salarial. Não dá pra aceitar que, em pleno século 21 e em uma mesma função, a mulher receba um salário inferior ao do homem — declarou.

Lindbergh mencionou uma matéria do jornal Folha de S. Paulo segundo a qual as mulheres continuam ganhando menos que os homens quando ocupam o mesmo cargo. O jornal registra que essa diferença salarial afeta o crescimento do produto interno bruto (PIB). Segundo o senador, a diferença é ainda maior se a mulher for negra. Também de acordo com a matéria, as mulheres continuam a acumular o trabalho com o serviço doméstico.

Lindbergh Farias ainda lamentou o fato de as mulheres serem sub-representadas na Câmara dos Deputados e no Senado.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)