Fátima Bezerra aponta cortes orçamentários e culpa o governo pela crise na segurança

Da Redação | 06/03/2018, 19h27 - ATUALIZADO EM 06/03/2018, 20h35

A decisão do governo de realizar uma intervenção militar no estado do Rio de Janeiro foi classificada como precipitada e sem planejamento pela senadora Fátima Bezerra (PT-RN) durante a sessão temática sobre segurança pública realizada em Plenário nesta terça-feira (6). A senadora observou que a violência não se resume àquele estado e, por isso, as soluções deveriam ser adotadas em seu conjunto, abrangendo todos os entes da Federação.

Fátima Bezerra ressaltou que, segundo levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o Rio Grande do Norte é segundo estado com maior índice de mortes violentas a cada 100 mil habitantes.

A senadora culpou o governo pelos problemas no combate à violência. Ela destacou a falta de implementação do Plano Nacional de Segurança Pública, divulgado em janeiro do ano passado, e mencionou os cortes orçamentários na área de segurança promovidos pela União e a aprovação da Emenda Constitucional 95, que estabeleceu o teto dos gastos públicos.

— Fica muito difícil a população brasileira acreditar que as coisas podem ser resolvidas — disse.

A senadora afirmou ainda que a criação do novo Ministério da Segurança Pública foi feita sem diálogo ou consulta à população.

— Nós esperamos que o novo ministério não se resuma a uma medida populista sem planejamento. Esperamos que para o bem da sociedade esse ministério possa dar respostas do ponto de vista de políticas públicas de segurança de qualidade — declarou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)