Paim: CDH vai debater crise da segurança pública no Brasil

Da Redação | 23/02/2018, 11h24 - ATUALIZADO EM 23/02/2018, 13h21

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) fará um ciclo de debates para discutir a crise da segurança pública que o Brasil enfrenta, anunciou o senador Paulo Paim (PT-RS), em discurso nesta sexta-feira (23). Ele mencionou números do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, com dados de 2016 indicando a morte de quase 62 mil brasileiros de forma violenta e intencional, o maior número registrado até hoje no país. A situação vivida pelo Rio de Janeiro, de violência, tráfico e crise no sistema carcerário, acrescentou, não é exclusiva do estado.

— A realidade do Rio de Janeiro é nacional, não dá para fugir do cenário, precisa ser encarado por todos, pela sociedade e pelo poder público, afinal, o Brasil tem ou não uma política de estado para a segurança pública? Qual o papel dos municípios, dos estados e do próprio governo federal? — questionou.

No discurso, o senador também comemorou, após o decreto presidencial, da retirada do foco da Reforma da Previdência. Com a intervenção federal no Rio de Janeiro, o Congresso fica proibido de aprovar qualquer modificação à Constituição, o que impossibilita o andamento da PEC 287/2016, na Câmara.

— Felizmente está enterrada definitivamente, subiu no telhado, esse ano. A CPI da Previdência também cumpriu seu papel, nesse aspecto — registrou.

Paim presidiu uma CPI sobre o tema no ano passado, e as conclusões da comissão indicaram não haver rombo na Previdência, mas sim problemas de gestão, como desvios, falta de fiscalização, corrupção e anistia para grandes devedores.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)