Paim critica possível suspensão na intervenção no Rio para votar a reforma da Previdência

Da Redação e Da Rádio Senado | 19/02/2018, 15h29 - ATUALIZADO EM 19/02/2018, 15h32

O senador Paulo Paim (PT-RS) criticou nesta segunda-feira (19) o presidente da República, Michel Temer, por anunciar que a intervenção no Rio de Janeiro pode ser suspensa para uma possível votação da Reforma da Previdência no Congresso.

Para o senador, se a intervenção federal for suspensa, será um desrespeito com o povo do Rio de Janeiro e com as Forças Armadas. Paim afirmou que irá ao Supremo Tribunal Federal tentar impedir esta manobra do governo federal.

— Sabemos que a maioria da população do Rio de Janeiro está favorável, mas se isso é verdade, como é que ele vai suspender pra tirar o direito do povo brasileiro se aposentar? Isso é molecagem! Isso eu não posso concordar.

Paraiso do Tuiuti

Paim também parabenizou a escola de samba Paraíso do Tuiuti pelo seu desfile no carnaval do Rio de Janeiro. Segundo Paim, a escola defendeu os pobres e oprimidos e, no seu conjunto, criticou a impunidade e a corrupção.

O enredo da escola condenava a escravidão, lembrando os 130 anos da assinatura da Lei Áurea. O senador lamentou que a escola tenha perdido o título do carnaval por apenas um décimo de diferença.

— Ela condenou a escravidão, chamada escravidão moderna do Brasil, na retirada de direitos dos trabalhadores. E por extensão a (retirada de direitos da) própria Previdência, como quer agora o presidente Temer — disse Paim.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)