Gladson Cameli destaca aumento da violência no Acre

Da Redação e Da Rádio Senado | 07/02/2018, 16h25

O senador Gladson Cameli (PP-AC) lamentou que as polícias do Acre não têm estrutura adequada para o enfrentamento do crime organizado. Por isso, pediu ajuda ao governo federal, ao lembrar que o estado faz fronteira com o Peru e a Bolívia, países produtores de cocaína.

Gladson disse que a violência, antes limitada às grandes capitais e estados mais populosos, agora chegou ao Acre, que, apesar de ter apenas 800 mil habitantes, sofre com índices elevados, proporcionalmente à sua população. Em 2017, foram 450 homicídios. Só nas duas primeiras semanas de janeiro de 2018, foram 20 assassinatos, informou.

O parlamentar acredita que o Acre vive um clima de guerra. Ele citou dados do Sistema de Informações de Mortalidade do Ministério da Saúde indicando que, até 2015, a taxa de homicídios de Rio Branco era de 34 para cada 100 mil habitantes. Em 2016, os números saltaram para 62 por 100 mil habitantes, enquanto que a capital paulista tem uma taxa inferior a 15 por 100 mil habitantes.

Venho a esta tribuna para pedir aquilo que o governador do Acre não tem humildade para fazer. Mas, em nome das famílias do meu estado, que sofrem com essa onda de violência, peço a ajuda do Governo Federal para vencermos essa batalha contra o crime organizado — afirmou.

 

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)