Violência sexual contra mulheres com deficiência é tema de debate nesta quinta

Da Redação | 06/12/2017, 15h06 - ATUALIZADO EM 07/12/2017, 19h13

A última audiência pública do projeto Pauta Feminina de 2017 tem como tema a “Violência Sexual contra Mulheres com Deficiência”. O evento, a ser realizado nesta quinta-feira (7) é promovido pela Procuradoria da Mulher do Senado e da Câmara dos Deputados e pela  bancada feminina na Câmara e integra as ações tanto da 11ª Semana de Valorização da Pessoa com Deficiência do Senado e quanto da Campanha dos 16 dias de ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher.

Mediada pela deputada Rosinha da Adefal (Avante-AL), a discussão reunirá a advogada Deborah Prates, presidente da Comissão da Mulher do Instituto de Advogados Brasileiros (IAB); a delegada Glaucia Cristina da Silva, da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa ou por Orientação Sexual ou contra a Pessoa Idosa ou com Deficiência (Decrin); a coordenadora-geral do Sistema de Informações da Pessoa com Deficiência — Secretaria de Direitos Humanos, Carolina Angélica Gomes; e a diretora do Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos Não Transmissíveis e Promoção da Saúde (DANTPS) do Ministério da Saúde, Maria de Fatima Marinho de Souza.

Dados

Antes do debate sobre a violência contra mulheres com deficiência, serão divulgados dados inéditos sobre a violência contra as mulheres.

Coordenadora do Observatório da Mulher contra a Violência, Roberta Viegas, lançará o Panorama da Violência contra as Mulheres no Brasil: Indicadores Estaduais e Nacionais 2017. Marcos Ruben, coordenador Geral da Secretaria de Transparência do Senado, fará uma “Análise longitudinal de fatores associados à violência contra as mulheres”, com base em pesquisas realizadas pelo DataSenado.

Desde 2005 o DataSenado realiza uma pesquisa nacional exclusivamente com mulheres sobre a violência doméstica e familiar, tendo realizado em 2017 sua sétima edição. A partir dos resultados da pesquisa estima-se a proporção de mulheres que já sofreram algum tipo de violência provocada por um homem, bem como outros fatores associados a essa violência.

Segundo Marcos Ruben, “subsidiariamente tem-se um instrumento que permite estimar, por meio de perguntas indiretas, qual a chance de uma mulher já ter sofrido ou vir a sofrer violência doméstica”.

A diretora do DNTPS, Maria de Fatima Marinho de Souza, também comentará a produção de dados sobre a violência contra a mulher realizada no âmbito do Ministério da Saúde.

Cordelista

Enfermeira, ativista da saúde e cordelista, Onã Silva fará uma participação especial, lendo cordel de sua autoria sobre as mulheres com deficiência. Intitulada de poetisa do cuidar, Onã empreende uma trajetória de sucesso desde o fim dos anos 2000, quando começou a abordar temas da saúde e da enfermagem na linguagem do cordel.

O Projeto Pauta Feminina é realizado mensalmente desde 2013. A edição de dezembro, sobre a Violência Sexual contra as Mulheres com Deficiência, é uma iniciativa da procuradora da Mulher do Senado Federal, Vanessa Grazziotin; da coordenadora da Bancada Feminina da Câmara dos Deputados, Soraya Santos; da Procuradora da Mulher da Câmara dos Deputados, Gorete Pereira; do Programa Senado Inclusivo; e do Observatório da Mulher contra a Violência.

Da assessoria de imprensa da Procuradoria da Mulher do Senado

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)