Requião diz que Lava Jato ignora a entrega de patrimônio nacional a estrangeiros

Da Redação e Da Rádio Senado | 06/11/2017, 18h45 - ATUALIZADO EM 08/11/2017, 12h29

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) afirmou nesta segunda-feira (6) que as autoridades responsáveis pela Operação Lava Jato estão "presas por suas próprias obsessões". E isso as teria afastado da realidade da política e da economia do país, facilitando a entrega do patrimônio nacional por um governo atolado em corrupção e comandado por um presidente denunciado duas vezes na Justiça pela prática de crime comum.

Exemplo disso, para Requião, foi o recente leilão de campos do pré-sal, em que o Brasil concedeu R$ 1 trilhão, em benefícios, às "mais ricas empresas do planeta", sem qualquer estudo que amparasse tal decisão e sem levar em consideração que esse dinheiro seria muito bem-vindo em setores como a Previdência.

Independentemente dessas facilidades, tais empresas viriam para cá, porque o custo de extração do óleo do pré-sal é de sete dólares o barril, valor muito menor do que o registrado em processos de extração nos Estados Unidos e no Canadá, afirmou o senador.

Roberto Requião acrescentou que, levando-se em conta o valor de cada litro leiloado, apenas um centavo de real vai para os cofres públicos. E isso aconteceu com o apoio da mídia.

— Um centavo, Moro, um centavo, Dallagnol, um centavo, ministra Cármen Lúcia, um centavo, Raquel Dodge, um centavo, ínclitos delegados da Polícia Federal. um governo de meliantes faz isso e todos fazem cara de paisagem. Viram o rosto para o lado.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)