Humberto Costa acusa Temer de comprar deputados e cortar verbas de programas sociais

Da Redação e Da Rádio Senado | 15/08/2017, 16h21 - ATUALIZADO EM 15/08/2017, 16h34

O senador Humberto Costa (PT-PE) afirmou nesta terça-feira (15) que, enquanto não falta dinheiro para o governo comprar deputados federais que livraram o presidente da República, Michel Temer, de responder a denúncia por crime de corrupção passiva no Supremo Tribunal Federal, milhares de brasileiros sofrem com as consequências do corte de verbas para diversos programas sociais.

Humberto Costa acusou o governo de fechar 400 unidades do Farmácia Popular, descredenciar outras 1.500 farmácias ligadas ao programa, sucatear o Sistema Único de Saúde (SUS); desfigurar o Fies e o Prouni e cortar 45% das verbas das instituições federais de ensino superior.

Michel Temer foi além, continuou o senador, ao lembrar que 543 mil famílias foram desligadas do Bolsa Família, num momento em que há no país mais de 14 milhões de desempregados.

E o resultado não poderia ser outro que não o aumento da violência, concluiu Humberto Costa.

— De norte a sul, as famílias brasileiras estão sendo destroçadas por uma onda de criminalidade assombrosa. Está [aí] o exemplo de Pernambuco que, só nos sete primeiros meses deste ano, já contabilizou mais de 3.300 homicídios, quase mil a mais que no mesmo período do ano passado.

Humberto Costa ainda lamentou o corte de 44% no orçamento das Forças Armadas, o que pode escancarar as portas do Brasil para o crime, alertou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)