Para Randolfe, retorno de Aécio ao Senado 'fragiliza investigações'

Da Redação | 30/06/2017, 18h35 - ATUALIZADO EM 30/06/2017, 20h39

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) afirmou nesta sexta-feira (30) que a decisão judicial que devolveu o mandato ao senador Aécio Neves (PSDB-MG) “fragiliza” as investigações que estão em curso na Procuradoria-Geral da República (PGR). Randolfe é o autor da ação no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado contra Aécio, que foi afastado do mandato em maio, após a delação do empresário Joesley Batista, um dos sócios do frigorífico JBS.

— Respeito qualquer decisão judicial. Entretanto, não me parece ter surgido qualquer fato novo que justifique o retorno ao exercício do mandato do senador Aécio Neves — disse, referindo-se à decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, de dar fim ao afastamento do parlamentar.

A ação por quebra de decoro contra Aécio foi arquivada pelo presidente do Conselho de Ética, senador João Alberto Souza (PMDB-MA), sob a alegação de falta de provas. No entanto, cinco senadores, incluindo Randolfe, recorreram da decisão.

A decisão judicial não afeta a ação no Conselho de Ética. O senador João Alberto Souza precisa convocar uma reunião para que o plenário do órgão decida sobre o recurso.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)