Vanessa Grazziotin defende rejeição total da reforma trabalhista proposta pelo governo

Da Redação e Da Rádio Senado | 20/06/2017, 17h32 - ATUALIZADO EM 20/06/2017, 17h38

A rejeição da reforma trabalhista pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) foi comemorada em Plenário pela senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). O Projeto de Lei da Câmara (PLC) 38/2017, proposto pelo Poder Executivo, foi rejeitado por 10 votos a 9.

Para ela, a vitória da oposição mostra que, ao contrário do que o governo e a mídia imaginavam, a aprovação da reforma trabalhista não será fácil no Senado.

Vanessa Grazziotin lembrou que a própria base do governo não defende a proposta do governo Temer, apesar de estar empenhada em sua aprovação rápida. Segundo a senadora, o objetivo dos governistas é o de cumprir um acordo com o Planalto, por meio do qual o governo promete vetar alguns pontos e, em seguida, editar medida provisória para melhor regulamentá-los.

E esse acordo, disse a senadora, mostra que o governo Temer trata os senadores como assessores da Presidência da República e não como representantes do povo.

— O projeto é mortal para trabalhadores, mas o projeto é mortal também para a Previdência Social, porque ele cria novas relações de trabalho, que não precisam mais ter vínculo — disse Vanessa Grazziotin.

Mesmo rejeitado pela CAS, o texto segue para a análise da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), onde terá o senador Romero Jucá (PMDB-RR) como relator.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)