Magno Malta: protestos não significam que o povo quer volta de Dilma ou do PT

Da Redação e Da Rádio Senado | 24/05/2017, 19h56 - ATUALIZADO EM 24/05/2017, 20h22

O senador Magno Malta (PR-ES) afirmou que os manifestantes que estavam hoje nas ruas de Brasília rejeitam as reformas previdenciária e trabalhista propostas pelo governo, e ainda pedem a saída de Michel Temer da Presidência do país.

Malta destacou, porém, que isso não quer dizer que esse movimento veio pedir a volta do Partido dos Trabalhadores ou de Dilma Rousseff.

Ele ainda defendeu a ação da força policial que dispersou os manifestantes após um ataque de pessoas mascaradas a prédios de ministérios, já que não há como distinguir blackblocks de cidadãos de bem. Para o senador, a punição aos vândalos se tornou necessária.

— Botaram fogo no Ministério da Agricultura, no Ministério da Cultura, quebraram a Catedral, tem policiais atacados. Aí vi alguns senadores aqui, com todo o respeito, fazendo discurso chorando: meus olhos estão ardendo, sujou minha roupa, soltaram bomba, que absurdo. Como é que a polícia vai enfrentar baderneiros sem usar seus instrumentos?

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
18h51 Manutenção de empregos: Retirado de pauta o PL 1.128/2020, que autoriza bancos públicos a financiarem folhas de pagamento durante a pandemia. Seu autor, Omar Aziz (PSD-AM), vai relatar a MP 944/2020, que cria o Programa Emergencial de Suporte a Empregos.
18h07 Encargos sociais: Senador Irajá (PSD-TO) retira de pauta o PL 949/2020, de sua autoria, e é designado para a relatoria da MP 927/2020. Os senadores concordam que há similaridade entre as duas propostas de isenção de encargos sociais.
Ver todas ›