Jereissati lamenta divergências sobre leitura do relatório da reforma trabalhista

Da Redação e Da Rádio Senado | 23/05/2017, 18h37 - ATUALIZADO EM 24/05/2017, 11h15

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), presidente da Comissão de Assuntos Econômicos, criticou em Plenário a postura de senadores da oposição, que se rebelaram na comissão contra a leitura do relatório sobre a reforma trabalhista (PLC 38/2017).

O projeto de lei da Câmara que propõe uma reforma da legislação trabalhista está sendo relatado pelo senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES).

Segundo Tasso Jereissati, a divergência entre oposição e governistas gerou um “clima de ódio” que podia ser visto nos rostos de alguns parlamentares.

Ao afirmar que precisou sair da sala da comissão devido à ameaça de agressão física por parte dos senadores da oposição, Tasso relatou que nem em palanques, durante disputas eleitorais, ou em toda o tempo em que atua no Congresso viu reações tão violentas.

- Eu fiz um apelo e disse que estava disposto ali, não como presidente da comissão, mas como presidente do PSDB, a fazer uma interlocução, porque não era possível mais ao pais nós continuarmos neste momento de ódio, de raiva, de rancor, em que brasileiros se odeiam e se agridem e têm uma intolerância absoluta com qualquer opinião que seja contrária a deles - disse o senador.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)