Jader defende Temer e pede aprovação de nova lei contra abuso de autoridade

Da Redação | 13/12/2016, 20h58 - ATUALIZADO EM 13/12/2016, 21h31

O senador Jader Barbalho (PMDB-PA) acusou em Plenário a mídia e setores do Judiciário de tramarem a derrubada do governo Temer. E se manifestou, nesta terça-feira (13), em defesa do projeto da nova Lei de Abuso de Autoridade, argumentando que, em nome do combate à corrupção têm sido cometidas arbitrariedades jurídicas. O projeto de Lei (PLS) 280/2016, do senador Renan Calheiros, segue na pauta do Plenário.

Jáder Barbalho lamentou que os grandes meios de comunicação busquem associar o projeto de lei a um plano da classe política para obstruir a Operação Lava Jato. O senador paraense  criticou a extrapolação do poder dos juízes, que, para ele, chegou a um nível que não se verificou nem no regime militar.

Para ele, a divulgação de delações faz com que parlamentares sejam julgados e condenados por antecipação pela opinião pública, num procedimento que considera incompatível com um regime democrático.

— Não se pode admitir que delações que não foram aceitas pela autoridade judicial possam ser divulgadas como verdade definitiva em relação aos homens públicos e às pessoas neste país — declarou, comparando a "condenação antecipada" supostamente levada a cabo por membros do MP e do Judiciário ao terror de Robespierre (1758-1794) na Revolução Francesa.

Jader Barbalho vinculou a rejeição à nova Lei de Abuso de Autoridade a um processo em curso para derrubar o presidente Michel Temer. Ele atacou os grupos que, segundo ele, tentam afastar o Brasil da serenidade e das medidas necessárias para sair da crise, e assinalou que a persistência de um noticiário “pessimista e escadaloso” tende a criar uma comoção nacional favorável à renúncia ou ao impeachment de Temer.

Também endereçou um apelo aos senadores do PSDB, aliados do governo, afirmando que a mídia trama a queda de Temer para que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso volte à Presidência da República.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)