Portal do Senado passa a utilizar ferramenta de buscas do Google

Da Redação | 28/09/2016, 14h56 - ATUALIZADO EM 30/09/2016, 12h20

O Senado passou a utilizar, nesta quinta-feira (29), a tecnologia de busca do Google em seu site. A nova ferramenta, chamada Google Search Appliance (GSA) e adquirida pela Secretaria de Tecnologia da Informação (Prodasen), permite que uma só pesquisa busque informações em diversos bancos de dados do Senado. Hoje, a busca por conteúdo legislativo é separada, por exemplo, da pesquisa do conteúdo jornalístico. A caixa de busca ficará na home page do Senado (www.senado.leg.br) e em todos os portais da Casa na internet.

Segundo o diretor-geral adjunto de Gestão e presidente do Comitê Gestor da Internet, Gustavo Ponce de Leon, o principal objetivo do GSA é ampliar a transparência ao facilitar as buscas, principalmente para os cidadãos. Isso é resultado, ressaltou, do empenho em se obter a melhoria do trabalho oferecido à sociedade, com um acesso rápido e confiável às informações do Senado.

— Trata-se [o Google] do maior portal de buscas do mundo, capaz de fornecer informação integrada, tratada e organizada por meio de um sistema de buscas livre — salientou Ponce de Leon.

De acordo com o diretor, o projeto focou inicialmente no conteúdo legislativo, noticioso e relacionado à transparência. Ponce de Leon ressaltou que o uso diário possibilitará o aperfeiçoamento da ferramenta, pois o próprio mecanismo identifica os conteúdos mais buscados e possibilita a depuração de informações inconsistentes ou antigas.

Segundos

Para o diretor-geral adjunto do Prodasen, Fabrício Fernandes Santana, a implantação do sistema de buscas GSA modifica muito a forma de buscar e obter documentos.

— A amplitude do escopo de documentos geridos pelo Senado é algo revolucionário. O usuário obtém o que quer em até cinco segundos — ressalta.

O conjunto de hardware e software, disse Fabrício, foi adquirido pelo valor de R$ 1 milhão e permite a inserção de até 3 milhões de documentos. Até o momento, já foram indexados 2,2 milhões de documentos.

O diretor da Secretaria de Informação Legislativa do Senado, Fábio Liberal, avalia que a ferramenta visa atualizar e modernizar o modo de se fazer pesquisa nos bancos de dados do Senado, além de garantir a recuperação de informação relevante. O cidadão insere o conteúdo de seu interesse em um campo livre e a ferramenta indexa e dá tratamento padronizado, possibilitando o aparecimento de dados mais qualificados, explicou.

— Quem sabe o que o usuário quer é a ferramenta — assinalou.

Membros do comitê gestor, Washington Brito disse que a vantagem do GSA se resume em duas palavras: responsividade e acessibilidade. A primeira é a possibilidade de acessar as informações em dispositivos como tablets e smartphones. A segunda é a capacidade de traduzir os termos para pessoas com deficiência visual.

Revolucionário

João Eduardo Siqueira Lopes, do Serviço de Portais da Internet do Prodasen, responsável pela adaptação da ferramenta, comentou como foi o trabalho para se chegar ao atual formato.

— Foi divertido, quase um entretenimento — relatou.

O servidor disse que conhecer a ferramenta, identificar pontos comuns entre ela e outros sistemas utilizados na Casa, como o LexML e o Sistema de Informações do Congresso (Sicon), e aproveitar suas melhores funcionalidades, além de criar sua interface gráfica, exigiram constantes conversas com diversos setores. Lopes trocou ideias com o Núcleo de Modernização e Informática Legislativa da Secretaria de Informática Legislativa, com o Núcleo de Tecnologia da Informação da Secretaria de Comunicação Social (NTI/Secom) e com o Comitê Gestor da Internet. No Prodasen, contou com o apoio da Coordenação de Infraestrutura de Tecnologia da Informação, da Coordenação de Soluções de Tecnologia da Informação e da Coordenação de Informática Legislativa e Parlamentar.

Já Fabiano Nunes Parente, do Núcleo de TI da Secom, disse que a contribuição do núcleo foi a introdução do “acesso rápido”. O recurso, segundo ele, apresenta sugestões de pesquisa a partir do que é digitado pelo usuário..

— É a intervenção humana no cadastramento. Um exemplo: Voz do Brasil é o segundo termo mais buscado. Então, o acesso rápido com o termo ‘voz brasil’ leva o usuário diretamente para a página da Rádio Senado, onde estão os programas diários da voz. Outro exemplo: se o usuário digita "verba de gabinete", o acesso rápido apresenta "cotas para exercício da atividade parlamentar", que é a nomenclatura correta no jargão do Senado — assinalou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)