Gladson Cameli aponta crime de responsabilidade e diz ser preciso zelar pelas contas públicas

Da Redação | 30/08/2016, 15h37 - ATUALIZADO EM 30/08/2016, 16h53

Primeiro senador a se manifestar após as alegações dos advogados no processo de impeachment, na tarde desta terça-feira (30), Gladson Cameli (PP-AC) reafirmou sua convicção sobre o crime de responsabilidade da presidente afastada Dilma Rousseff.

Ele afirmou que a questão orçamentária no país vem sendo levada a sério graças aos avanços na legislação, que começou com a edição da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Dilma feriu os preceitos legais e por isso, a presidente da República está sendo levada ao impedimento.

— Estamos amadurecendo, e não existe crescimento sem dor — disse, lamentando pelo que chamou de fim melancólico, caso a aprovação do impeachment de Dilma se concretize.

Gladson criticou o PT e seus aliados por chamarem o processo de “golpe”, e afirmou que o Parlamento cumpriu as leis e a Constituição ao zelar pelo cumprimento do Orçamento e pela vigilância aos atos do Executivo. Segundo o parlamentar, golpe é “gritar para a comunidade internacional esta tese absurda”, posando de vítima para a mídia e os organismos internacionais, mentir para ganhar as eleições  e agir sem responsabilidade fiscal.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)