Concessão da BR-364 vai prever duplicação de alguns trechos, assegura governo

Da Redação | 13/07/2016, 13h14 - ATUALIZADO EM 13/07/2016, 16h06

Estudo que vai embasar a concessão da BR-364 está sendo feito pela Construtora Sanches Tripoloni e prevê a duplicação escalonada, com prioridade para os trechos mais movimentados e travessias urbanas, informaram representantes do governo nesta quarta-feira (13) durante audiência pública promovida pela Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado (CI). A rodovia é uma importante rota de escoamento da produção agrícola da região Centro-Oeste.

Quando concluído, o estudo será submetido à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que poderá sugerir a inclusão de novos trechos. Mas a duplicação total da rodovia em um primeiro momento está praticamente descartada pois acarretaria um valor mais elevado a ser cobrado nas futuras praças de pedágio. Foi o que argumentou o secretário de gestão dos programas de transportes do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Luciano de Souza Castro:

— Se nós tratarmos a duplicação de forma generalizada, os preços de lançamento dos pedágios sobem. Se você falar em duplicação geral, vai  para o leilão com os preços de pedágio lá em cima — apontou.

O processo de concessão da BR-364, no trecho entre os municípios de Comodoro (MT) e Porto Velho (RO), deverá ser concluído até o final de 2017 e as obras de duplicação iniciadas em 2018, conforme estimativa apresentada pelo Ministério dos Transportes. A audiência foi requerida pelo senador Acir Gurgacz (PDT-RO). Ele teme que o modelo de concessão que está prestes a ser fechado para o trecho, por um período de 20 anos, preveja apenas a restauração da rodovia. Mas representantes do governo garantiram que alguns trechos serão duplicados.

—   A orientação que foi dada na questão da duplicação e das terceiras faixas é que elas sejam propostas conforme a necessidade do tráfego. A ANTT vai fazer a avaliação e ver se o estudo apresentado pela empresa é a melhor configuração —, assinalou  Diogenes Alvares, gerente de Estruturação de Negócios da Empresa de Planejamento e Logística S.A. (EPL).

O presidente da CI, senador Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), assegurou que o colegiado vai acompanhar de perto o andamento do processo de concessão da rodovia e fará novos debates para garantir que as obras de duplicação saiam do papel.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)