Armando Monteiro teme aumento das despesas públicas

Da Redação e Da Rádio Senado | 13/07/2016, 18h03 - ATUALIZADO EM 13/07/2016, 23h19

O senador Armando Monteiro (PTB-PE) afirmou, nesta quarta-feira (13), que a evolução do déficit público brasileiro nos últimos meses é preocupante, pois o déficit primário já ultrapassou os R$ 100 bilhões.

Com o objetivo de diminuir as despesas públicas, informou o senador, o governo interino de Michel Temer apresentou uma proposta de emenda à Constituição que fixa limite de gastos nos próximos 20 anos para as despesas dos Três Poderes, do Tribunal de Contas da União, do Ministério Público e da Defensoria Pública da União.

Na opinião de Armando Monteiro, o objetivo do governo é promover o congelamento dos gastos públicos, que vêm crescendo nas últimas duas décadas.

Entretanto, o senador disse que medidas complementares serão necessárias, pois uma parte das despesas públicas não estará sujeita ao teto de gastos, como os fundos constitucionais, o Fundeb e as despesas para as eleições.

— Além disso, 47% dessa despesa tem alguma regra de vinculação, que precisa ser revista pelo Congresso, a exemplo de determinados benefícios da Previdência, da LOAS, do abono salarial, do seguro desemprego, que são hoje indexados ao salário mínimo.

Armando Monteiro disse ainda que o país precisará, em breve, de uma ampla reforma previdenciária, com fixação da idade mínima para aposentadoria por idade e aumento do tempo mínimo de contribuição.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
12h00 Votação de vetos: Foi encerrada a sessão do Congresso para análise de vetos pelos deputados. Colégio de líderes se reúne em seguida para fazer acordo de procedimentos para votação. Nova sessão, com a mesma pauta, foi convocada para as 14h.
10h54 Sessão do Congresso: Começou a sessão remota do Congresso Nacional em que deputados analisam vetos presidenciais e dois projetos de lei. À tarde, será a vez de os senadores votarem a mesma pauta.
Ver todas ›