Gladson Cameli pede solução para crise do setor aéreo na região Norte

Da Redação e Da Rádio Senado | 13/06/2016, 19h04 - ATUALIZADO EM 13/06/2016, 23h55

O senador Gladson Cameli (PP-AC) pediu nesta segunda-feira (13) uma solução para o setor aéreo, principalmente na região Norte, onde os voos estão sendo suspensos. Ele lembrou que em 4 de abril, a empresa Azul deixou de operar no Acre. Em maio, a Gol suspendeu os voos sem escalas entre Rio Branco e Porto Velho, que duravam 45 minutos. E a TAM, hoje LATAM, acabou com os voos diurnos entre Rio Branco e Brasília que, em determinada época do ano, pode custar, em apenas um trecho, até R$ 3 mil.

E isso se deve, explicou Gladson Cameli, ao alto preço dos combustíveis no país, que é um dos mais caros do mundo em razão do ICMS, cuja incidência varia de 7%  a 25%. Já os voos internacionais são isentos do imposto.

O senador disse que devido ao ICMS, é mais caro viajar para Rio Branco do que para o Cairo, capital do Egito, por exemplo.

— A crise da aviação não é uma questão limitada ao Acre ou à região Norte. Tem caído desde 2014 o número de passageiros em voos domésticos. A expectativa do setor é que o crescimento volte apenas no segundo semestre de 2017. Todos nós desejamos que as empresas aéreas ofereçam serviço de alto padrão, preços competitivos e que gerem empregos e aqueçam, sim, a nossa economia.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)