Randolfe e Romário cobram de Renan decisão sobre convocações na CPI do Futebol

Da Redação | 17/05/2016, 18h06 - ATUALIZADO EM 17/05/2016, 18h24

Durante a sessão deliberativa desta terça-feira (17), os senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Romário (PSB-RJ) cobraram do presidente do Senado, Renan Calheiros, a votação do Recurso 6/2016, que trata da votação de requerimentos de convocação na CPI do Futebol. Presidindo a sessão, Renan recolheu a questão de ordem e informou que responderá oportunamente.

Em 6 de abril, a CPI aprovou as convocações do presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, e do ex-presidente da entidade Ricardo Teixeira, para falarem sobre supostas irregularidades envolvendo negócios no futebol brasileiro. No dia seguinte, no entanto, Renan determinou que a CPI do Futebol refaça a votação dos requerimentos.

A determinação veio em resposta a uma questão de ordem levantada pelo senador Ciro Nogueira (PP-PI), membro da CPI. Segundo Ciro, a votação foi realizada sem o quórum necessário e, portanto, deveria ser invalidada. Renan afirmou que o quórum foi verificado corretamente, mas determinou a repetição da votação para garantir o contraditório, uma vez que não houve pedido de verificação de votos.

A decisão foi contestada no Plenário pelo senador Randolfe, membro suplente da CPI, e por outros senadores, como o próprio Romário, que preside a CPI. O presidente Renan, então, encaminhou o recurso para análise da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), que deveria dar parecer em até dois dias úteis. Depois disso, a decisão definitiva sobre a questão cabe ao Plenário.

Randolfe e Romário informaram nesta terça que o prazo para que a CCJ proferisse seu parecer já se esgotou, ou seja, se não houve parecer aprovado, o recurso deve ser encaminhado ao Plenário.

— Diante desse aspecto, requeiro a vossa excelência, conforme preceitua o Regimento Interno, que, já decorridos, obviamente, muito mais do que dois dias úteis, o recurso a essa questão de ordem seja colocado por vossa excelência no momento adequado para apreciação por parte do Plenário desta Casa — disse Randolfe a Renan.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)