Cristovam e Cameli também se manifestam pela admissibilidade do impeachment

Da Redação | 06/05/2016, 13h23 - ATUALIZADO EM 11/08/2016, 17h42

Embora não tenha direito a voto na Comissão Especial do Impeachment, o senador Cristovam Buarque (PPS-DF) declarou, nesta sexta-feira (6), ser favorável à admissibilidade do pedido de impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff.

— Há indícios de não atendimento da lei orçamentária. Indicações de que houve relacionamento espúrio entre banco estatal e o Tesouro. Esses pontos me levam a encaminhar pela admissibilidade da denúncia — explicou Cristovam, afirmando que em 2014 alertou o governo Dilma contra a "contabilidade criativa". Para ele, o modelo de governo implantado nos últimos 13 anos está “esgotado”.

Na sequência, o senador Gladson Cameli (PP-AC) citou trecho do relatório do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), que reconhece a eterna vigilância como preço a ser pago pela estabilidade política e econômica. O parlamentar lamentou que práticas “temerárias” adotadas pelo governo Dilma tenham posto tudo isso a perder.

— Dilma conseguiu fazer, de uma ponte sólida para o desenvolvimento, uma corda bamba — resumiu Gladson Cameli.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)