Jorge Viana diz que aprovar impeachment é desrespeitar os 54 milhões de votos de Dilma

Da Redação e Da Rádio Senado | 13/04/2016, 17h17 - ATUALIZADO EM 13/04/2016, 17h53

O senador Jorge Viana (PT-AC) mencionou nesta quarta-feira (13), em Plenário, entrevista do professor e ex-ministro Mangabeira Unger, em que ele fala sobre o momento político do país, observando que o enfrentamento da corrupção não pode se dar ao custo de fragilizar a democracia.

Mangabeira Unger também condenou o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, disse Jorge Viana, afirmando ainda que se o processo de impedimento da presidente for autorizado pela Câmara dos Deputados o país desrespeitará o voto das 54 milhões de pessoas que elegeram Dilma.

— Como constará na história do nosso país, da política do nosso país, a história desse impeachment, se ele vier a se configurar, tendo Eduardo Cunha como seu líder? Em que página estará escrito este impeachment? Quem vai querer seu nome associado ao de Eduardo Cunha? Teríamos impeachment, na forma como está sendo conduzido, sem Eduardo cunha na presidência da Câmara? Sem o seu desejo de vingança? O Brasil não merece passar por uma situação dessa — argumentou Jorge Viana.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)